X
Economia

Brasil e Bolívia firmam memorandos para investimentos no setor energético

Documentos assinados pelo ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, preveem interligação dos sistema de transmissão e distribuição do Brasil com o norte da Bolívia e otimização da geração de energia da Usina Hidrelétrica de Jirau

Cerimônia de assinatura nesta manhã / Ricardo Botelho/MME

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, assinou nesta terça-feira, 9, memorandos de entendimento com a Bolívia. O primeiro prevê a interconexão dos sistemas de transmissão e distribuição de energia elétrica e o segundo documento é para a modificação da operação da Usina Hidrelétrica da UHE Jirau na Cota 90 m. A assinatura aconteceu com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

O terceiro documento é um aditivo ao Memorando de Entendimento sobre assuntos energéticos entre o MME (Ministério de Minas e Energia) e o Ministério de Hidrocarbonetos da Bolívia, assinado em 2007. O objetivo é promover a integração energética entre os dois países por meio da utilização da infraestrutura de dutos já existente no transporte de gás natural, satisfazendo a demanda do mercado brasileiro. Além disso, ficam previstos a avaliação e execução de projetos de exploração por meio de novos operadores na região.

O objetivo do plano de conexão via sistema de distribuição é o de fornecer energia elétrica a localidades no norte da Bolívia, cujas redes elétricas atualmente operam de forma isolada. “Essa interligação com o Brasil ajudará a descarbonizar parte da Amazônia entre os dois países, além de dar mais segurança energética aos nossos vizinhos bolivianos”, pontuou o ministro Alexandre Silveira. A interligação se dará entre as subestações Guajará-Mirim (RO/Brasil) e Guayaramerin (Bolívia), e entre as subestações Epitaciolândia (AC/Brasil) e Cobija (Bolívia).

O outro acordo entre os países foi de otimizar a geração de energia da Usina Hidrelétrica de Jirau a partir da flexibilização da regra operativa, de forma a permitir a continuidade da operação na cota 90 m constante ou ampliada durante o período de estiagem com ganhos energéticos ao Sistema Interligado Nacional.

“Estamos estabelecendo o marco geral de compromissos estratégicos para a integração e complementação energética entre os dois países, com a finalidade de alcançar um maior aproveitamento dos recursos energéticos, em benefício de ambos, que compreende diversas atividades do setor energético, financiamento, transferência de tecnologia e capacitação”, explicou Silveira.

Localizada no Rio Madeira, a UHE Jirau é a quarta maior geradora de energia do Brasil em capacidade instalada. É composta por 50 unidades geradoras, com potência de 75 MW, que totalizam 3.750 MW de capacidade instalada. A usina se conecta ao SIN pela subestação Coletora Porto Velho. A UHE Jirau fornece energia renovável para mais de 40 milhões de pessoas.

*Com informações do Ministério de Minas e Energia

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

PRF apreende 879 kg de maconha e recupera veículo em Campo Grande

Motorista fugiu e abandonou veículo

Política

Comissão de deputados vai acompanhar o processo de relicitação da Malha Oeste

A Ferrovia Malha Oeste soma mais de 1.600 quilômetros, ligando Corumbá a Mairinque, SP

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo