13 de junho de 2021
Anuncie Aqui
-->
Região

Corredor Bioceânico possibilita ampliação do comércio exterior e diversificação de indústrias em MS

18 NOV 2020 - 10h53min
Assessoria

Com a implantação do Corredor Bioceânico, Mato Grosso do Sul poderá ampliar as relações comerciais não apenas com os países da Ásia, Oceania e Costa Oeste dos Estados Unidos, como também da América do Sul. As novas possibilidades de exportações e importações vão fomentar ainda a diversificação de indústrias no Estado.

É o que aponta um estudo que está sendo desenvolvido pela professora e pesquisadora Luciane Carvalho, que integra o projeto de pesquisa e extensão “Corredor Bioceânico” da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Os acadêmicos Arianne Hiran Silva e José Paulo Nogueira também participam da pesquisa.

O Corredor Bioceânico reduzirá o custo e o tempo de viagem em até 17 dias rumo ao mercado asiático. "Isso indica melhora com relação ao frete e maior competitividade para os produtos sul-mato-grossenses, que atualmente são escoados via Porto de Santos e Porto de Paranaguá. Então, a rota é um projeto ambicioso que vem a se tornar realidade", destaca Luciane Carvalho.

No período de 2015 a 2020, metade das exportações de Mato Grosso do Sul foi destinada para a China e para a ilha de Hong Kong, sendo os principais produtos: soja, carne bovina, pastas químicas de madeira, milho, açúcares de cana e de beterraba e sacarose. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX).

Outros países como Japão, Coréia do Sul, Tailândia, Indonésia e Malásia correspondem a 13% do total das exportações sul-mato-grossenses nos últimos cinco anos. “Com a rota, Mato Grosso do Sul poderá aumentar o volume de exportações para os países asiáticos, atendendo à demanda por alimentos ao fornecer proteína animal como frango, suínos e peixes”, avalia a pesquisadora.

Na pauta de importações do Estado, China e Hong Kong compreendem 14% e os outros países asiáticos a 5%, no período de 2015 a 2020. “A rota traz um benefício mútuo tanto para as exportações como também viabiliza as importações para a produção industrial, fomentando o desenvolvimento e a criação de novos empreendimentos em Mato Grosso do Sul”.

América do Sul

Campanha Drogaria Aquidauana Institucional - 12

A expectativa é que a rota também promova a integração entre os países da América do Sul e o desenvolvimento local nos municípios alcançados pela rota.

Em relação ao Paraguai, o estudo identificou que o país vizinho pode fornecer a Mato Grosso do Sul produtos que atualmente são importados da China, como tecidos de malhas e fios sintéticos. Em 2019, por exemplo, Mato Grosso do Sul importou um total de US$ 82,9 milhões deste tipo produto.

“A pauta de exportações de Mato Grosso do Sul para o Paraguai também pode ser melhorada com o aumento no volume de produtos já destinados ao país vizinho como papel e cartão, tripas, bexiga e estômago de animais, óleo de soja e couro curtido”, explica Luciane Carvalho.

As exportações para o Chile corresponderam a 22% do total exportado pelo Estado em 2018, e a 26%, em 2019. Enquanto que as importações registraram 19% e 12%, respectivamente. Para Luciane Carvalho, tanto o volume de exportações quanto importações pode ser melhorado.

“O Chile é um parceiro importante tanto para o Brasil quanto para Mato Grosso do Sul porque há diversos produtos que tem destino brasileiro, como salmão, minérios, frutas secas e vinhos”, avalia a pesquisadora.

Integração econômica

Um levantamento realizado pela Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) aponta que o Corredor Bioceânico terá potencial para movimentar US$ 1,5 bilhão por ano em exportações de carnes, açúcar, farelo de soja e couros, para os outros países por onde a rota passará.

A pesquisadora da UFMS considera que a rota poderá potencializar as relações comerciais entre municípios dos quatro países que farão parte do trajeto e destaca possibilidades para o transporte de mercadorias apontadas pelo Sindicato das Empresas do Transporte de Cargas e Logística (Setlog/MS).

“A ideia é que os caminhões que vão até os portos do Chile carregados com commodities retornem para o Brasil com alguma carga, há produtos como o feijão, nas regiões argentinas como San Salvador de Jujuy e Salta, além da produção de vinho, no Chile e na Argentina”, explica Luciane Carvalho.

Pesquisa

Os recursos que viabilizaram a realização do projeto são oriundos de emenda parlamentar do deputado federal Vander Loubet (PT/MS). O Projeto Multidisciplinar Corredor Bioceânico é coordenado pelo Prof. Dr. Erick Wilke, da Escola de Administração e Negócios (ESAN/UFMS). Também são realizados estudos nos Eixos de Logística, Direito, Turismo e História.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Casal "ungido", Humberto passou de quase missionário a esposo quando coração bateu forte por Erika

2
Geral

Novas medidas para conter aglomerações e o avanço da covid já estão valendo em Aquidauana

3
Aquidauana

Lutando contra câncer cerebral, menino faz rifa na expectativa de vencer batalha nada fácil

4
Geral

Caminhão carregado com mandioca tomba na Estrada Parque de Piraputanga

Informe Publicitário

Informe

Selenita Semijoias tem o presente perfeito e sorteio de Dia dos Namorados

Previsão do Tempo

min14 max28

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min14 max28

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,05m
Miranda
1,88m
Paraguai
1,49m

Colunas e Blogs

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

PARTE XIII: AUTOESTIMA FEMININA: FORTIFICÁ-LA!

Valdemir Gomes

Todo...

Rosildo Barcellos

A Retomada de Corumbá

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Ponto de Táxi

Ponto de Táxi Nº 4

Rua Estevão Laves Correa, s/n - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 2410
Bancos

Banco HSBC

Rua Estevão Alves Corrêa, 539 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-1496 www.hsbc.com.br
Farmácias e Drogarias

Drogaria Progresso

Rua João Leite Ribeiro, 345 c Centro - 79210-000 Anastácio/MS (67) 3245-0643
Ver Mais
2
Entre em nosso grupo