X

Investimentos em minério devem ser de R$ 5 bilhões / Assessoria /Divulgação

Os investimentos das mineradoras em exploração, ampliação e prospecção em Mato Grosso do Sul deverão superar R$ 5 bilhões nos próximos dois anos. O Estado é rico em matéria-prima em regiões como Corumbá, Ladário, Miranda, Bodoquena, Bonito e Porto Murtinho.

A estimativa positiva é da Semagro (Secretaria de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar) com base em dados obtidos junto as empresas minerais de agregados, ferro, manganês, cobre, calcários, fosfatos, rochas ornamentais, água mineral e reminerilizadores (usado como fertilizantes, e de suma importância para uma agricultura sustentável).

O secretário Executivo da MS Mineral, Eduardo Pereira destaca que o Governo está muito confiante nos investimentos das mineradoras existentes e as novas empresas que estão chegando. “No Estado, estas empresas podem injetar US$ 1 bilhão no período de 2022 a 2024. Um deles o antigo Complexo Centro Oeste a Vale, que produziu em média 2,7 milhões de toneladas/ano, e agora controlada pelo Fundo J&F, poderá aumentar a extração deste mineral para 3,5 milhões já no primeiro ano, para atender o aumento da demanda nacional e internacional”, afirmou. Segundo dados da ANM- Agencia Nacional de Mineração, até julho no Estado foram emitidas 72 requisições de pesquisa, 21 Alvarás de Pesquisas e 10 requerimentos de licenciamento até maio/2022.

O secretário Jaime Verruck está bastante otimista com o avanço no segmento. “Estamos muito confiantes nestes investimentos. Temos a maior reserva de manganês do País, a 2ª maior reserva de calcários e a 3ª maior reserva de ferro de alto teor. Isso atrai investimentos nacional e internacional” afirmou.

Ele destaca ainda que aliado a este potencial mineral, o Estado está situado no coração da América do Sul, em posição estratégica de logística e com grandes projetos em andamento nos modais de transporte. “Estamos em parceria com o Paraguai, Argentina e Chile na construção da Rota Bioceânica, que vai encurtar o caminho para a Ásia em 15 dias. Temos investido muito na logística, construindo novas rodovias, portos e estamos reorganizando o sistema ferroviário, o que nos tornará muito competitivos no mercado nacional e internacional, diz Verruck.

No País, os investimentos da indústria de mineração deverão somar US$ 40,44 bilhões no período de 2022 a 2026, estimou o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM). O montante para o quinquênio, divulgado pela primeira vez, indica uma queda de quase US$ 900 milhões na comparação com a projeção de investimentos para o período de 2021/2025, conforme dados do IBRAM.

Segundo o Geólogo Luís Antônio Vessani, Diretor do IBRAM e CEO da Edem Mineração, instituto que representa as mineradoras que atuam no Brasil, a maior parte dos investimentos, ou 54%, é referente a aportes que ainda estão programados, enquanto 46% do montante se refere a projetos já em execução. Pouco mais de 10% dos investimentos são em projetos socioambientais para o quinquênio.

Minério de Ferro

O Estado detém a terceira maior reserva de minério de ferro de alto teor do Brasil nos municípios de Corumbá e Ladário. Com isso os investimentos em minério de ferro, produto que lidera os aportes financeiros no Brasil e em Mato Grosso do Sul estão estimados em aproximadamente em US$ 450 milhões, sendo US$ 400 milhões em projetos novos e ampliação das estruturas existentes e R$ 50 milhões em pesquisas e prospecção de novas áreas mineralizadas. Hoje atuam no Estado as empresas: Vale (J&F), Vetorial, 3ª Mining e

Minério de Manganês

O MS tem a maior reserva do Brasil em manganês de alto teor acima de 44%, nos municípios de Corumbá e Ladário. Hoje temos a Vale que suspendeu as operações de manganês, mais que a nova Controladora da Vale Centro Oeste, a J&F deverá voltar a explorar e pesquisar novas áreas mineralizadas dentro de seus requerimentos. As empresas MPP Mineração e 3A Mining vão pesquisar em seus requerimentos também o manganês no Morro Tromba dos Macacos e no Morro do Rabicho, investimentos previstos de US$ 50 milhões para pesquisas (geofísica e sondagens) e extração do mineral.

Cobre

Atualmente o Estado conta com vários requerimentos na região de Porto Murtinho, que juntos somam mais de 15 mil hectares de áreas a serem prospectadas e pesquisadas nos Terrenos de Domínio Rio Apa, investimentos aproximados de US$ 30 milhões.

Rochas Ornamentais

O setor tem várias empresas com requerimento de pesquisas e outras já explorando mármores, quartzitos e granitos, nos municípios de Porto Murtinho, Bonito, Bodoquena, Miranda, Ladário e Corumbá, investimentos em pesquisas, Instalações e extração de US$ 100 milhões.

Fosfato

Na Serra da Bodoquena o MS conta com jazimentos de Fosfato com teores médio de 12% a 18%, com investimentos iniciais na ordem de US$ 50 milhões em prospecção, pesquisas, extração e ampliação de estruturas existentes. Existem atualmente mais de 100 mil hectares de áreas sendo pesquisadas e a pesquisar, nos municípios de Miranda, Bodoquena e Bonito, temos mais de 80 milhões de toneladas de Fosfato medida nas jazidas da empresa E2 Mineração Ltda. (Edem Mineração), que tornam o Estado autossuficiente neste fertilizante.
Calcários Calcíticos e Dolomiticos

O Estado tem a segunda maior reserva de Calcário do Brasil, de suma importância para o agronegócio sul mato-grossense, e abriga também duas fabricas em operação da indústria cimenteira (Bodoquena e Corumbá), e uma outra planta industrial em processo de investimento no município de Bela Vista. Investimentos da ordem de US$ 180 milhões;

Agregados da Construção Civil

Argila, Areia, Cascalho e Brita têm vários projetos em estruturação, com investimentos em pesquisas, prospecção e extração na ordem de US$ 10 milhões.

Água mineral

Nas cidades de Itaquirai e Bela Vista, há duas novas empresas em instalação de extração, envasamento e distribuição de Agua Mineral, com investimentos de US$ de 5 milhões.

Reminerilizadores

São rochas silicáticas moídas que quando adicionados ao solo, podem melhorar as propriedades físicas e biológicas do solo. E são usadas na agricultura, silvicultura e na pecuária, temos vários projetos sendo estruturados e remodelados para atender a demanda dos produtores por um produto sustentável, investimentos previstos em prospecção, pesquisa e extração, na ordem de US$ 130 milhões, nos municípios de Dourados, Terenos, Inocência e São Gabriel do Oeste.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Ministério da Saúde inicia plano para vacinar 130 mil indígenas

Ao longo do Mês de Vacinação dos Povos Indígenas, serão ofertadas 240 mil doses. Ação começa neste sábado (13), em Oiapoque (AP), com a presença da ministra Nísia Trindade

Esporte

Atleta paralímpica de Aquidauana conquista vaga no Bolsa Atleta

Yzarrara foi selecionada na competição de parabadminton do ano passado

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo