X

Arquivo pessoal

Com o início da pandemia mundial do Coronavírus, todos os setores foram afetados, não foi diferente com o esporte. A jogadora de vôlei de praia, a Aquidauanense, Talita Antunes, conversou com a nossa equipe e contou como está lidando qual a atual situação.

Talita, nasceu na cidade de Aquidauana, moradora da vila Santa Teresinha, conta que começou a jogar vôlei desde cedo, aos 12 anos de idade, “sempre tive influência na família, meu primo o Luizinho era jogador de vôlei, meu tio, Luiz Alberto (melão), era técnico, então sempre me senti motivada”, afirma.

A jogadora ainda cedo foi atràs dos seus sonhos, mudou-se para Campo Grande, onde ganhou uma bolsa de estudos pra jogar vôlei. Jogou em campeonatos representando a cidade natal, Aquidauana, além de Campo Grande e até o estado.

Em 1998 ela se mudou para Maceió, onde recebeu o convite para representar o estado de Alagoas no esporte. Convite feito pelo então atual presidente da CBV, Walter Pitombo Laranjeiras (Toroca). Foi lá que ela iniciou e teve a experiência do vôlei de praia “iniciei no esporte, joguei com a campeã olímpica Jackie Silva e me mudei para o Rio de Janeiro, onde formei parcerias com Renata, Maria Elisa, Taiana, Larissa e Carol. Representando o Brasil em 3 Jogos Olímpicos (2008, 2012 e 2016)”, disse a Aquidauanense.

Talita conta que essa pandemia foi muito assustadora, pegou todo mudo de surpresa e que foi difícil de lidar, um turbilhão de sentimentos “essa pandemia foi uma montanha russa de emoções, foram momentos de incertezas, ficamos muito tempo sem torneios e muitos foram cancelados, manter o foco não foi fácil, mas apesar de tudo nossa equipe conseguiu realizar um bom trabalho, terminamos o ano sem nenhuma lesão e com bons resultados. Hoje vejo uma luz no fundo o túnel e sei que logo tudo voltará ao normal. Estar ao lado da minha família me ajudou muito nesse momento tão difícil”, conta Talita, que passou o final do ano com a família, após um longo tempo longe.

E vem novidade por aí, de acordo com a jogadora, nessa temporada ela volta a jogar novamente com a parceira Maria Elisa, além de contar com a mesma equipe, Renato França, seu técnico e Carlos Eduardo, seu preparador físico. “Feliz e ansiosa para voltar a jogar”.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Policial

Mulher que cegou tatuador continua presa em Curitiba

Ela jogou uma caneca de soda no rapaz, que perdeu a visão

Investimentos

Investimentos públicos garantem qualidade de vida e potencializam turismo em Rio Verde

Governador cumpriu agenda no município

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo