X
Esportes

Palmeiras arranca empate, rebaixa o Sport à Série B e retorna à liderança

Foi suado, díficil e chorado. Mas o Palmeiras conseguiu na noite desta quarta-feira, no Palestra Itália, arrancar um empate em 2 a 2 com o Sport, depois de sofrer dois gols no primeiro tempo, e voltar à liderança do Campeonato Brasileiro, ao menos provisoriamente. Do outro lado, restou a tristeza. Faltando três rodadas para o fim da competição, o Leão da Ilha está matematicamente rebaixado para a Segunda Divisão.


E não faltou, mais uma vez, polêmica envolvendo a arbitragem, consequentemente a revolta de um dos times envolvidos. No segundo gol alviverde, aos 40 minutos do segundo tempo, muita reclamação dos jogadores do Rubro-Negro pernambucano, que pararam na jogada alegando que Elmo Alves Resende Cunha marcara uma irregularidade. A jogada, no entanto, foi legal - Élder Granja dava condições a Danilo, que mandou para as redes - e os atletas do Verdão, por sua vez, disseram que não escutaram nada.


À reportagem do SporTV, o árbitro afirmou que não apitou, mas em imagem da TV apenas com o som ambiente é possível ouvir o apito de Elmo Alves, mesmo que breve, após o grito de um jogador do Sport pedindo impedimento, no momento em que Danilo dominou a bola. Como o auxiliar acertou ao não marcar irregularidade, correndo para o meio-campo, a situação dá a entender que o árbitro voltou atrás.


Com o resultado, o Alviverde chegou aos mesmos 59 pontos do rival São Paulo, mas tem melhor saldo de gols (14 contra 12). O Tricolor, no entanto, pode retomar a primeira colocação e abrir três pontos de vantagem no próximo sábado, quando enfrenta o Vitória, às 19h30m, no Morumbi. O Palmeiras só volta a campo na próxima quarta-feira, dia 18, no estádio Olímpico, onde encara o Grêmio, às 21h50m. No fim de semana, fica secando os adversários, pois pode ser ultrapassado também por Flamengo e Atlético-MG, que jogam contra Náutico e Coritiba, respectivamente.


O Sport agora cumpre apenas tabela. Com 31 pontos, dez atrás do Botafogo, primeiro time fora da zona de rebaixamento, o time pernambucano foi do céu ao inferno em uma temporada. Após bela campanha na primeira fase da Taça Libertadores, foi eliminado nas oitavas de final pelo próprio Palmeiras e, em meio a turbulências no futebol, fecha a temporada de volta à Série B. No dia 22, um domingo, a equipe joga na Ilha do Retiro, às 17h, contra o Fluminense, que ainda briga para não cair.


Apagão atinge o Palmeiras, e o Sport começa aceso


Até parecia que o fim das partidas contra Náutico, Santo André e Fluminense se repetiria. Mostrar os jogadores no vestiário, espalhar bandeirinhas e os gritos da torcida não adiantaram nos primeiros 45 minutos. O Palmeiras entrou apagado na primeira etapa e se viu rapidamente envolvido pelo adversário. Aos 11 minutos, Dutra avançou pelo lado esquerdo, se livrou da marcação e cruzou para Arce finalizar sem chances para Marcos, fazendo 1 a 0 para os pernambucanos.


Cinco minutos depois, nova investida do Sport e novo gol. Quando Adriano Pimenta passou para Wilson, o goleiro palmeirense saiu no desespero da meta alviverde. O atacante se livrou do arqueiro e ampliou. A torcida alviverde parecia não acreditar no que acontecia. O mesmo ocorria com os torcedores rubro-negros que compareceram ao Palestra Itália e corriam freneticamente para os lados no espaço reservado aos visitantes.


Depois do segundo gol, os palmeirenses passaram a pedir por Pierre. Marcos, em um ato desesperado, correu para bater um lateral próximo ao meio-campo. Somente aos 29 o Alviverde teve uma boa chance, com Obina cabeceando por cima do travessão de Magrão.


Aos 34, Ortigoza conseguiu, por um estante, trazer a torcida de volta para o time. Depois de brigar pela posse de bola, se livrar de três marcadores e acertar a trave esuqerda. Enquanto isso, o Sport seguia tocando o jogo, como se fosse o time que brigava para liderar o Brasileirão. E por pouco não chegou ao terceiro gol.


Aos 39, Arce foi lançado e Marcos precisou sair com tudo para conter o atacante. O camisa 12 se jogou para tirar a bola e vibrou, levantando os torcedores. E aos 46, Obina cabeceou muito bem, mas parou na excelente defesa de Magrão.


Os palmeirenses deixaram o gramado vaiados. Os torcedores que sentam nas cadeiras atrás do banco de reservas se viravam para o camarote do presidente Luiz Gonzaga Belluzzo e olhavam, com os braços abertos, como que não acreditando no que acontecia. E os poucos pernambucanos vibravam, mesmo com o time na lanterna e, apesar da vitória provisória, com remotas chances de se salvar.


- Faz três meses que eu tento de tudo. Passo a mão na cabeça dos mais novos, xingo, grito e dou carinho, mas a coisa não muda. Mas vamos ver o que acontece no segundo tempo. Pode acontecer a virada. Temos 45 minutos para fazermos três gols - lamentou o goleiro Marcos.


Dois gols em vez de três, mas o suficiente para rebaixar o Sport


Na volta para o segundo tempo, a entrada de Pierre levou a torcida do Verdão ao delírio. Mas o futebol da primeira etapa persistiu, apesar das tentativas de Obina contra Magrão. Os erros, no entanto, frustravam cada vez mais os presentes. Já o Sport, que de quase rebaixado vivia uma noite de time que brigava por título, seguia em seu ritmo. Aos dez minutos, Moacir teve grande chance de ampliar: entrou livre na área, mas Marcos saiu para abafar.


O Palmeiras passou a ter mais espaço para atacar depois que Durval, que já tinha cartão amarelo, foi expulso por cometer falta em Ortigoza. Mas a falta de pontaria alviverde persistia. Em cruzamento de Armero, aos 25 minutos, Ortigoza e Obina se jogaram, mas não alcançaram a bola.


A apreensão tomava conta das arquibancadas quando a reação Deyvid Sacconi diminuiu para o Palmeiras, aos 26 minutos. Ortigoza rolou a bola, e o meia bateu com força para balançar as redes. Festa no Palestra, esperança e pressão em campo, com a torcida voltando a jogar com os jogadores e cantando "Time da virada".


Depois do gol, o chuveirinho na área do Sport passou a ser mais frequente. Em uma rara tentativa alternada de jogada, Obina tentou encobrir Magrão, sem sucesso. Os passes errados persistiam do lado dos anfitriões, enquanto os visitantes, com um a menos, já estavam acoados em seu campo.


Aos 40 minutos, o Palmeiras chegou ao empate no polêmico, porém legal, lance envolvendo Danilo. Depois da bola pipocar na área do Sport, o zagueiro matou no peito e disparou contra Magrão, igualando o placar. Os atletas do Sport pararam, mas depois foram para cima do árbitro. Mas quem estava na arquibancada não quis saber se Elmo Alves apitou ou não, mas sim comemorou.


Com cinco minutos de acréscimo, ainda houve pressão palmeirense, com direito a Marcos indo para a área adversária tentar o cabeceio. Nada sequer eficiente, E mesmo não apresentando um grande futebol, o Palmeiras ainda segue vivo na luta pelo pentacampeonato nacional.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

2024

Iniciativa de MS ganha reconhecimento pelo Observatório Nacional de Segurança Viária

Programa da TVE foi destaque nacional do Maio Amarelo

Inmet

Máxima prevista para Aquidauana nesta sexta-feira é de 30°C

Não há previsão de chuvas

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo