X
Eventos

Vida e Obra de "Autor maldito" será encenada na Capital

A peça teatral "Diário do Maldito" vem a Campo Grande e apresenta a vida e da obra de Plínio Marcos, um dos maiores dramaturgos do país, que ficou conhecido como "autor maldito" por abordar a temática da marginalidade brasileira. A realização da peça é do grupo brasiliense Teatro do Concreto, que se apresenta nos dias 15 e 16 de Janeiro (sexta e sábado), às 21 horas e no dia 17 (domingo), às 20 horas, no Teatro Glauce Rocha. A classificação do espetáculo é 18 anos e a entrada é gratuita. Para realização da peça, o grupo recebe o apoio do grupo teatral de Campo Grande Flor e Espinho, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, por meio do Teatro Glauce Rocha. E patrocínio da Funarte, através do prêmio Myrian Muniz e do Ministério da Cultura.


Além das apresentações, no dia 14 de janeiro às 20 horas também no Glauce Rocha, o grupo faz a leitura dramática de "25 homens", conto do livro Inútil canto e inútil pranto pelos anjos caídos, também do dramaturgo. A leitura é indicada para maiores de 14 anos. E no dia 17 de janeiro, às 10 horas , realiza o lançamento da revista especializa em teatro onde terá um bate-papo com os grupos de teatro da região.


O grupo Teatro do Concreto desenvolveu a peça Diário maldito a partir de uma pesquisa de dois anos sobre o dramaturgo Plínio Marcos, onde realizaram entrevistas com pessoas próximas ao autor e um amplo levantamento de material bibliográfico e estudos sobre tarô e arquétipos, foi possível criar uma dramaturgia própria para o espetáculo, assinada por Juliana Sá e que também incluem citações de textos do dramaturgo.


Na peça o público é recebido num bar onde conhece diversas histórias e personagens que descrevem a trajetória divertida e comovente de um poeta que sempre dedicou sua obra à denúncia social, mas, que agora, pensa em parar de criar. Inconformados com a situação, seus personagens invadem a cena para cobrá-lo.


A direção do espetáculo é de Francis Wilker e Ivone Oliveira. O elenco conta com os atores Maria Carolina Machado, Alonso Bento, Gleide Firmino, Jhony Gomantos, Micheli Santini e Nei Cirqueira. A sonoplastia é ao vivo e feita por Daniel Pitanga. O grupo estreou em 2006, desde então realizou diversas apresentações por Brasília e por todo Brasil.


Peça


No ano de 2009, o grupo lembrou os 10 anos da morte de Plínio Marcos, o grupo Teatro do Concreto apresentou o espetáculo, representando o centro-oeste, na IV Mostra Latino-americana de Teatro de Grupo, realizada em São Paulo pela Cooperativa Paulista de Teatro. Também no mesmo ano, foram convidados a integrar o projeto do SESC de Santos, A Arte dos Malditos.


O crítico Sérgio Maggio, do Correio Braziliense ressalta a qualidade do espetáculo "Essa força indescritível é capaz de comover espectadores de distintas crenças e uni-los em torno do drama de personagens invisíveis à sociedade."


A peça também recebeu crítica das revistas ARTEZ da Espanha e Muestra do Peru. No Fantástico o grupo Teatro do Concreto participou do quadro "Me leva Brasil". E ganhou prêmios no Festival Nacional de Teatro de Macapá - 2008 e no Prêmio SESC do Teatro Candango - 2007.


Todos eventos realizado pelo grupo na Capital terão a entrada gratuita.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Geral

Prefeitura de Bonito e Marinha realizam curso de Segurança de Embarcações

O curso visa qualificar os profissionais aquaviários

Saúde

Brasil regula abate e processamento de animais para mercado religioso

Diário Oficial detalha procedimentos exigidos pelo governo

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo