28 de janeiro de 2021
Anuncie Aqui
-->
Geral

2008 começa em alta para filme nacional

12 JAN 2008 - 10h46min
folha online

"Meu Nome Não É Johnny", o primeiro longa brasileiro a estrear em 2008 (em 4/1), teve animadora performance nas bilheterias. Foi visto por 151 mil pessoas no fim de semana, com média de 1.482 espectadores por cópia --resultado característico de grandes sucessos.


Mas não é nos números que o diretor Mauro Lima, 40, tem se fixado, para dimensionar o êxito de seu filme. "Não me dou bem com a coisa no papel, na planilha. Gosto de entender [o sucesso do filme], quando me dizem que foram vê-lo no cinema e voltaram para trás, porque a sessão estava lotada."


Lima é cauteloso sobre as razões da popularidade de "Meu Nome Não É Johnny". "Se eu soubesse o segredo, estaria com meus próximos oito filmes garantidos." Mas ele estima que "talvez seja a atualidade desse assunto nos centros urbanos" o principal chamariz do longa.


"Meu Nome Não É Johnny", protagonizado por Selton Mello, é baseado na biografia do produtor musical carioca João Guilherme Estrella, 46, que, pertencendo à classe média alta carioca, passou de usuário a traficante de drogas na juventude e foi condenado à internação em hospital psiquiátrico.


"Pouco previsível"


Apesar da performance positiva do filme brasileiro que inaugurou as bilheterias em 2008, a expectativa de boa parte do mercado é que o desempenho do produto nacional neste ano repita o de 2007.


"Estimamos aproximadamente o mesmo número de público", afirma o executivo da Cinemark, Valmir Fernandes. O secretário do Audiovisual, Silvio Da-Rin é mais reticente. "O cinema tem flutuações muito grandes. O êxito dos filmes é muito pouco previsível", diz.


O diretor José Padilha, autor do filme brasileiro líder de bilheteria em 2007 ("Tropa de Elite", 2,4 milhões) acha que a queda total de bilheterias no ano passado (de 2,9%, ou 2,5 milhões de espectadores) "não indica uma tendência".


Padilha diz que "variações percentuais pequenas como esta podem decorrer de fenômenos que não têm a ver com a economia do cinema".


O cineasta cita como possível causa dessa queda a pirataria que atingiu "Tropa de Elite" antes de sua estréia nos cinemas.


"Na opinião dos distribuidores e exibidores em geral, se a pirataria não tivesse ocorrido, o filme teria feito um público bem maior em cinema. Talvez, mais do que 2,5 milhões [além do que fez]. Assim, é possível que esta queda resulte, entre outras coisas, do ato de duas pessoas que roubaram o DVD de um filme [e o destinaram à pirataria]", afirma Padilha.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Geral

Após divulgar notas de falecimento na cidade, dona Vicentina gravou a divulgação da própria morte

2
Geral

Aquidauana amanhece sem serviços de telefonia móvel da claro

3
Policial

PRF apreende cerca de R$ 3 milhões escondidos com passageiro de ônibus em MS

4
Anastácio

Anastácio registra morte de idosa de 70 anos por coronavírus

Vídeos

Após chuvas, árvore cai em cima do telhado de residência em Corumbá

Com período chuvoso intenso, rio Aquidauana sobe e chega a 5 metros

Após acidente de trânsito envolvendo carro e moto, vítima é levada para pronto socorro

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min24 max34

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Chove rápido durante o dia e à noite.
min24 max34

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Chove rápido durante o dia e à noite.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
5,64m
Miranda
7,46m
Paraguai
1,26cm

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

O...

Mariana Thomé

Corrupção nas empresas: o que o compliance tem a ofer...

Raquel Anderson

Dialeto caipira, uma maravilha!

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Transportes

Viação CRUZEIRO DO SUL

Rua Nelson Felício dos Santos, 145 - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 2929
Clubes

Lions Clube

Rodovia Aquidauana-Cera, Km 4, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3800/32412
Bancos

Banco HSBC

Rua Estevão Alves Corrêa, 539 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-1496 / 324 www.hsbc.com.br
Ver Mais
Fale com a redação