X
Geral

Álcool sobe menos, mas já é desvantajoso em 18 Estados


O preço do litro do álcool ficou ainda mais caro ao longo de novembro, segundo dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Na média de todo o Brasil, o combustível custou, em média, R$ 1,687 na média entre os dias 1º e 28 de novembro. Na comparação com outubro, o litro do álcool nos postos ficou 3,87% mais caro.


Nas últimas duas semanas, porém, o álcool apresenta certa estabilidade. Entre os dias 22 e 28 de novembro, custava, em média, R$ 1,698, ante R$ 1,693 na semana imediatamente anterior.
Pela média da semana passada, não é vantajoso usar álcool combustível em 18 Estados. Em outubro, a economicidade da gasolina prevalecia em dez unidades da federação.


Não é economicamente favorável usar álcool no Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Sergipe. Nos demais Estados, o álcool foi mais vantajoso que a gasolina em seis deles. Fazem parte dessa lista Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Pernambuco e Tocantins, além de São Paulo. Três unidades federativas, incluindo o Rio, estão no limite dessa vantagem.
Para fazer a conta, deve-se dividir o preço do álcool pelo da gasolina. Se o resultado ficar acima de 0,70, o álcool deixa de ser vantajoso.
Cálculos de especialistas, baseados no poder calorífico dos combustíveis, apontam que o álcool é competitivo até chegar a 70% do preço da gasolina.


Nos principais centros consumidores do país, o preço do álcool continuou subindo, mas em ritmo menos intenso. Em São Paulo, custava, em média, R$ 1,551, 3,33% acima do preço verificado em outubro. Na semana passada, o litro do álcool era encontrado, em média, por R$ 1,553, praticamente estável em relação ao R$ 1,558 observados na semana de 15 a 21 de novembro. No Rio de Janeiro, o preço médio do álcool subiu 4,41% em novembro. O litro do combustível custou, em média, R$ 1,822 ao longo do mês. Em outubro, era vendido por R$ 1,745 médios.


Na comparação com a gasolina, foi vantajoso, em novembro, abastecer com álcool em São Paulo, onde o litro custa o equivalente a 63% do valor cobrado pelo derivado do petróleo. No Rio, o preço do álcool representou, ao longo de novembro, 70% do que se pede pela mesma quantidade de gasolina no estado, ficando no limite dessa vantagem.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Gás de cozinha apresenta variação de até 31,58% na Capital

Revenda varia de R$ 95 e R$ 125 no botijão de 13 kg

Serviço

IBGE: MS é destaque no avanço em saneamento básico

Mato Grosso do Sul é o 2º estado que mais avançou em número de casas com acesso à rede coletora de esgoto ou com fossa séptica

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo