01 de agosto de 2021
Anuncie Aqui
Decisão Judicial

Após quase 3 anos, provedor de internet deve retirar vídeo que mostra execução de jovem

Vítima foi brutalmente assassinada no dia 14 de fevereiro de 2017 e os acusados do crime filmaram a cena e o vídeo foi divulgado na internet em plataforma de vídeos

12 FEV 2020 - 16h19min
Assessoria/TJMS

Sentença proferida pela 11ª Vara Cível de Campo Grande julgou procedente a ação movida pela mãe de um jovem assassinado, cujo vídeo da execução foi disponibilizado em plataforma de compartilhamento de vídeos. A sentença tornou definitiva a tutela concedida, determinando que a ré retire do ar o vídeo em questão, determinando ainda que informe os dados do usuário que fez a postagem, a fim de permitir à autora adotar as providências cabíveis.

Campanha Supermercado Atlântico_Angus 02

Segundo a autora, seu filho foi brutalmente assassinado no dia 14 de fevereiro de 2017 e os acusados do crime filmaram a cena e o vídeo foi divulgado na internet em plataforma de vídeos pertencente à empresa ré.

Sustenta que tentou tirar o vídeo de ar, porém sem sucesso, sendo necessário o ajuizamento da ação para retirar o vídeo em caráter de urgência. A tutela de urgência foi concedida.

Em contestação, a empresa ré alegou que, para a retirada de conteúdo do provedor, é necessária a expedição de ordem judicial e sua responsabilidade civil somente pode ser analisada em caso de descumprimento de ordem judicial.

Além disso, defende que os provedores de internet não possuem obrigação de fiscalizar previamente o conteúdo produzido pelos usuários em suas plataformas, sob pena de exercer censura.

“Em que pese a alegação da requerida de que não é responsável pelo conteúdo dos sites que hospeda, os autos revelam que a requerida tem poder de ingerência técnica para exercer o controle sobre os vídeos disponibilizados pelos sites que hospeda. Tanto é assim que, com a determinação judicial, a requerida promoveu a retirada do suposto vídeo ofensivo”, analisou o juiz Marcel Henry Batista de Arruda.

O magistrado citou que causas semelhantes já foram apreciadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que destacou a responsabilidade do provedor, o qual tem a obrigação de zelar pelos conteúdos publicados no site que hospeda, o que demanda a procedência da ação, para confirmar a liminar concedida.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Aquidauana

Polícia Ambiental autua dois homens por caça ilegal de porcos silvestres

2
Geral

Acidente na Estrada do Pequi deixa uma pessoa ferida

3
Miranda

Comerciante de munições é denunciado pela própria filha

4
Geral

De office boy a secretário de finanças, Adriano tem a caminhada da vida recheada de orgulho

Informe Publicitário

Informe

De barraca a supermercado, poema conta história da Rede Atlântico

Previsão do Tempo

min13 max28

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min13 max28

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
1,88m
Miranda
1,70m
Paraguai
1,00m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Com...

Rosildo Barcellos

Aruanã Etô – É o lugar das máscaras !

Gabriel Novis Neves

A GRATIDÃO TAMBÉM É VIRTUDE ETERNA

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Médicos

Aldemir Fernandes Filho - Clinico Geral

Rua Manuel Antonio Paes de Barros, 606 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2630
Escolas Municipais

Escola Municipal Antonio Santos Ribeiro

Rua Hugo Correa, Distrito de Piraputanga - 79200-000 Aquidauana/MS (67)
Hotéis

Hotel Santa Isabel

Rua Manoel Aureliano da Costa, 674 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3214/Fax
Ver Mais
2
Entre em nosso grupo