X
Geral

Cresce uso do Cartão BNDES por micro e pequenas empresas

De janeiro a novembro de 2009, valor desembolsado foi de R$ 2,2 bilhões

Há 15 anos, o empresário Lauro Jurgeaitis atua no setor de informática na capital do país. Ao analisar diferentes linhas de crédito para compra de material, Jurgeaitis optou por adquirir o Cartão BNDES. “Passei a utilizar o cartão em 2008, com limite inicial de R$ 15 mil. Hoje posso utilizar o valor máximo disponível na agência bancária, que é de R$ 100 mil. E melhor, pagando juros de 1% ao mês”, comemora.

Lauro integra o grupo de empresários de micro e pequenas empresas que, em 2009, colaborou para o crescimento de 299% em relação a 2008 dos recursos desembolsados pelo cartão. O empresário é proprietário da L2I Informática e Serviços Ltda, que atende especificamente o governo, e da CDI Informática e Serviços Ltda, aberta ao público em geral. Ambas localizadas no centro comercial de Brasília. “Entre as principais vantagens do cartão estão o rápido retorno e disponibilidade da parcela paga ao limite total, além da baixa taxa de juros cobrada”, afirma.

Até o último mês de novembro, os financiamentos com o cartão somaram R$ 2,2 bilhões. Nos 11 primeiros meses de 2008, esse número foi de R$ 736 milhões, segundo informação do presidente do BNDES, Luciano Coutinho. No mesmo período comparativo citado acima, o número de operações realizadas com o cartão quase triplicou, passando de 52.984 para 152.074.

Para o especialista da área de Serviços Financeiros do Sebrae, Roberto Marinho, os resultados alcançados pelo cartão são significativos. Ele explica que, devido à crise internacional, as MPE passaram a procurar e utilizar formas rápidas, seguras, baratas e, sobretudo acessíveis. “Os números do Cartão BNDES são muito expressivos. O crescimento tem ocorrido de forma sistemática e a facilidade com que opera tem sido motivo de grande alento para os empresários de micro e pequena empresa”, disse.

O Bradesco, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o Banco Nossa Caixa e o Banrisul são, atualmente, os bancos emissores do Cartão BNDES. As condições financeiras em vigor são: limite de crédito de até R$ 1 milhão por cartão, por banco emissor; prazo de parcelamento de 3 a 48 meses; e taxa de juros pré-fixada (informada na página inicial do Portal do BNDES).

Acesso à inovação
Outro destaque de 2009 foi a criação do Programa BNDES de Sustentação do Investimento (PSI), que reduziu os juros para o setor de bens de capital. O programa ajudou na expansão dos desembolsos para micro e pequenas empresas, que atingiram R$ 16,5 bilhões em 2009, aumento de 23,8% em relação a 2008.

O PSI foi criado em 2009 pelo banco para apoiar as empresas no desenvolvimento da capacidade para empreender atividades inovadoras, além de apoiar projetos de inovação de natureza tecnológica que envolvam risco tecnológico e oportunidades de mercado. "A inovação tem que estar constantemente prevista na agenda dos empresários. Quando percebem a relevância de investir em tecnologia e inovação, o PSI tem se demonstrado uma boa alternativa”, explica Roberto Marinho.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Petrobras iniciará venda de diesel verde em São Paulo no próximo mês

Combustível tem parcela de matéria-prima renovável

Política

Prefeitos tiram dúvidas sobre emissão de certidão para aquisição de créditos

Encontro reuniu 120 gestores municipais

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo