X
Fazendo História

Gráfica Ruy Barbosa anuncia que não fechará as portas e seguirá com atividades na Capital

No dia 21 de novembro de 2019, diretora da gráfica havia anunciado o encerramento das atividades para o fim de janeiro

A Gráfica Ruy Barbosa, que está há 93 anos na história de Mato Grosso do Sul como uma das empresas mais tradicionais do segmento, anunciou que não mais fechará as portas e que seguirá com as atividades gráficas na Capital, contrariando o anúncio feito no dia 21 de novembro de 2019, sobre o encerramento dos serviços.

A equipe de reportagem do jornal "O Pantaneiro" entrou em contato com a diretora da empresa, Bianca Maiolino, que informou que a nova decisão foi motivada pelo amor pela gráfica, pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido, por manifestações de carinho e incentivo e, também, pelo pedido dos funcionários, clientes e fornecedores. "Não houve nenhuma mobilização negativa, mas todos os funcionários incentivaram a manutenção de nossas atividades, demonstrando muito amor pela gráfica", disse.

Agora, a Gráfica Ruy Barbosa segue "rumo ao centenário", com aproximadamente 30 funcionários, como resumiu a diretora, com o objetivo de seguir construindo novos capítulos para a história do grupo.

Decisão Anterior

No dia 21 de novembro de 2019, um comunicado da empresa pegou de surpresa os clientes, funcionários e fornecedores da gráfica, que anunciou que receberia pedidos dos clientes até o dia 20 de dezembro e manteria o trabalho até o fim de janeiro.

“Foram 93 anos de profundos amor e dedicação, acima de tudo, respeito à sociedade que nos brindou por todos os dias de nossa válida convivência. Dignamente, encerramos as atividades com todas as nossas obrigações liquidadas junto a fornecedores, empregados, prestadores de serviço em geral e com absoluta certeza de que, por todo o tempo, oferecemos produtos de qualidade ao público”, dizia o comunicado enviado aos clientes.


Hoje, dia 23 de janeiro, a história ganhou um novo rumo.

Gráfica Ruy Barbosa

Foi fundada em Campo Grande/MS em 1927 a Livraria Ruy Barbosa pelo baiano Antônio Gomes Nika, que permaneceu como proprietário até 1937. Em 1938, transferiu a Livraria para o professor João Tessitore Júnior, que sentiu a necessidade de agregar a livraria a um parque gráfico. Desde então se passou a denominar Livraria e Tipografia Ruy Barbosa (1940). Nesta época, convidou para sócio o Sr. Abel Freire de Aragão, durando assim uma sociedade de quatro anos.

Por estar regressando para sua terra natal, São Paulo, o professor João Tessitone Júnior, vendeu a sua parte da empresa para o Sr. Abel Freire Aragão. Este chamou então seu contador para sócio. Nessa época, a Livraria e Tipografia Ruy Barbosa foi ampliada e novas máquinas foram adquiridas da Alemanha, tendo duração de apenas dois anos esta sociedade.

Em setembro de 1966, por motivos particulares, o Sr. Abel Freire Aragão resolveu dispor-se da empresa e propôs negócio com o Sr. Nerone Maiolino que já atuava na área de livraria e tipografia desde 1951. Ao se tornar dono da Livraria e Tipografia Ruy Barbosa o Sr. Nerone logo percebeu o pequeno o espaço da rua 14 de julho, em função do aumento da Livraria com o setor de festas infantis, a Tipografia, desmembrando-se da livraria mudando sua estrutura para um salão na Av. Calógeras (1981), permanecendo lá durante oito anos. Mais tarde em 1989, sentiu-se a necessidade de um prédio próprio mudando então para a Rua Alexander Fleming.

Em 1995, a razão social tornou-se Gráfica e Editora Ruy Barbosa Ltda. Daí por diante adotou-se nova filosofia de trabalho, acompanhando o desenvolvimento que o setor gráfico exigia, tendo como diretor Geraldo Palhano Maiolino. Infelizmente, com a morte do Sr. Nerone Maiolino, em 2006, a antiga empresa foi encerrada. A paixão por artes gráficas falou mais forte e Geraldo que sempre tomou conta da Gráfica e fundou o Centro Gráfico Ruy Barbosa Ltda ME, na Av. Fernando Corrêa da Costa, 277, atuando até os dias de hoje.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Emprego

Provas do Concurso Nacional Unificado terão megaoperação logística

Serão entregues mais de 2 milhões de malotes de provas em 220 cidades. Os Correios também irão fazer a logística reversa dos cartões de resposta das unidades nos estados para o local de correção

Esporte

Rayssa é vice na etapa de Paris do Street League

Brasileira cresce no final da prova e garante pódio

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo