01 de agosto de 2021
Anuncie Aqui
Geral

Juiz proíbe Cassems de excluir filhos-estudantes até 24 anos

14 AGO 2007 - 11h13min
ms notícias

O Ministério Público Estadual, por meio da Promotora de Justiça da comarca de Coxim, Camila Augusta Calarge Doreto conseguiu que a Ação Civil Pública proposta em face da Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul - CASSEMS fosse julgada procedente, ficando determinado que a CASSEMS abstenha-se de excluir como dependentes dos filiados seus filhos solteiros, sem rendimentos próprios, com idade entre 21 anos e 24 anos, que estejam cursando estabelecimentos de ensino regular, sob pena de multa de R$ 500,00 por usuário prejudicado.

Campanha Supermercado Atlântico_Angus 02

Segundo a Promotora de Justiça fora determinado, ainda, pelo Juiz Luiz Felipe Medeiros Viera que a CASSEMS devolva o valor pago pelos filiados que foram obrigados a proceder a alteração contratual referente a seus filhos que se encontram na hipótese supramencionada e, ainda, determinou que a CASSEMS oficie aos filiados que foram alvos da resolução normativa, comunicando a sua anulação.


A presente ação fora ajuizada no ano de 2003, pelo Promotor de Justiça Antônio André David Medeiros, onde argumentava que os servidores estaduais assinaram contrato de adesão com a requerida onde constava expressamente que seriam dependentes naturais os filhos dos servidores com idade entre vinte e um e vinte e quatro anos, que não possuem rendimentos próprios, que seriam atendidos sem qualquer pagamento. No entanto, posteriormente, a CASSEMS alterou unilateralmente o contrato, limitando a idade dos dependentes naturais para dezoito anos e obrigou os filiados a assinar de novo.


Ainda, segundo a Promotora de Justiça, a liminar já havia sido concedida, tendo a requerida interposto recurso de agravo, o qual foi apreciado pelo Eg. Tribunal de Justiça deste Estado, que manteve a decisão, reconhecendo a relação de consumo entre os contratantes de plano de saúde, bem como a legitimidade do Ministério Público. O processo teve seu regular andamento e, após, manifestação do Ministério Público, por intermédio da Promotora de Justiça Camila Augusta Calarge Doreto, o Magistrado ratificou o teor da liminar, julgando procedente da ação, entendendo que "atitude da requerida, ao utilizar a suspensão dos serviços aos filhos dos associados para exigir a renovação do contrato e o pagamento diferenciado do filiado, é prática abusiva vedada pelo Código de Defesa do Consumidor, que prevê no inciso IV do artigo 6º, a proteção do consumidor alvo de medidas coercitivas promovidas pelo prestador de serviço".

 

Veja também

Mais Lidas

1
Geral

Bombeiros atendem incêndio em casa e acidente com morte

2
Policial

Homem é multado por deixar animais sem comida

3
Geral

Dublador do Salsicha, morre três dias após Orlando Drummond, que deu voz ao Scooby-Doo

4
Geral

Nota MS Premiada será sorteada neste sábado

Informe Publicitário

Informe

De barraca a supermercado, poema conta história da Rede Atlântico

Previsão do Tempo

min13 max28

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min13 max28

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
1,88m
Miranda
1,70m
Paraguai
1,00m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

inicia...

Rosildo Barcellos

Aruanã Etô – É o lugar das máscaras !

Gabriel Novis Neves

A GRATIDÃO TAMBÉM É VIRTUDE ETERNA

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Médicos

Carlos Alberto A. Filho - Otorrino

Ruas Marechal Mallet, 601 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2126
Pesqueiros

Pesqueiro Segunda Esperança

, - Anastácio/MS (67) 3326-2163
Agências de Viagem e Operadoras

Buriti Viagens e Turismo

Manoel Antonio de Barros, 720 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 2718
Ver Mais
2
Entre em nosso grupo