24 de novembro de 2020
Anuncie Aqui
-->
Geral

Mato Grosso do Sul é 3º no ranking da carga tributária

20 AGO 2007 - 07h51min
correio do estado

A relação entre a riqueza produzida por um Estado PIB (Produto Interno Bruto) e sua população comprova que a carga tributária per capita paga pelos sul-mato-grossenses, nos seis primeiros meses deste ano, é a terceira maior do País na comparação com a das demais unidades da federação. No ano passado, MS ocupava a quarta posição no ranking nacional de pagamento do imposto.


Na prática, o pagamento estadual de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) é, proporcionalmente, o terceiro maior do País, o que reforça o argumento dos empresários locais de que a política tributária estadual pesa sobre as atividades econômicas de MS, com reflexos na redução da competitividade de diversos setores.


Em 2006, segundo dados do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), o Estado era o quarto no ranking de maior arrecadação per capita de ICMS, atrás apenas do Espírito Santo, São Paulo e Distrito Federal.


Nos doze meses do ano passado, MS arrecadou o equivalente a R$ 1.329,00 por habitante em ICMS: foi pouco mais de R$ 3 bilhões com o imposto para uma população estimada no Estado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2.264.468 habitantes.


De janeiro a junho deste ano, no entanto, foram recolhidos em MS pouco mais de R$ 1,65 bilhão em ICMS, que representam arrecadação per capita de R$ 730,00 no primeiro semestre. O valor equivalente de imposto recolhido por habitante no Estado ficou atrás apenas do alcançado no Espírito Santo e São Paulo. Ou seja, a arrecadação de ICMS per capita ganhou uma posição em 2007, ultrapassando o Distrito Federal.


De acordo com o presidente da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Campo Grande), Marcello Naglis, a posição de MS como um dos líderes em arrecadação de ICMS prejudica a geração estadual de empregos e de renda, uma vez que reflete a elevada carga tributária incidente sobre os empresários locais. "Isso retrai o interesse dos empresários em investir no Estado", disse.


Segundo ele, os empresários e a população deveriam se mobilizar contra essa posição ocupada por MS, exigindo ações políticas que diminuam a carga tributária. "A situação dos impostos em MS está insustentável: a carga tributária está aumentando", reclamou. Naglis explica que os impostos elevados tiram a margem dos lucros dos comerciantes e elevam os preços finais aos consumidores. Em Campo Grande, segundo ele, o preço de cada produto ofertado é formado por aproximadamente 45% de impostos, em média.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Vídeo: Carro capota, pega fogo e incêndio se espalha por vegetação na MS-345, em Aquidauana

2
Aquidauana

Ex-bancária de Aquidauana morre vítima do coronavírus em Campo Grande

3
Policial

Reinaldo determina afastamento de policiais envolvidos em agressão a mulher algemada

4
Policial

PMs salvam vítimas de caminhonete prestes a cair de barranco em Bodoquena

Vídeos

Vídeo de princípio de incêndio na Gruta de Piraputanga viraliza

Carga de carvão tomba e cai de carreta no trevo da BR-262, em Anastácio

Acidente entre carro e caminhonete mata homem carbonizado

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min23 max37

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min23 max37

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,59m
Miranda
4,06m
Palmeiras
1,81m

Colunas e Blogs

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

"MEDO..."

Valdemir Gomes

Uma...

Mazão Ramires

Responsabilidade intransferível

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Móveis e Decoração

Atalaia Arts

Rua Manoel Antônio Paes de Barros, 508 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2510
Distribuidoras de Gás

Disk Gás Ultragás

Av. Manoel Murtinho, 1035 Centro - 79210-000 Anastácio/MS (67) 3245-3333
Médicos

Eliane Apda de B. M. Leal - Oftalmologista

Rua 7 de Setembro, s/nº Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-2558
Ver Mais
Fale com a redação