X
Geral

Norte e Nordeste cresceram abaixo da média nacional em 2007, mostra IBGE

Região Sudeste perdeu participação no PIB entre 1995 e 2007. Maior PIB per capita voltou a ser registrado no Distrito Federal. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (18) novos dados sobre o crescimento da economia brasileira no período de 1995 a 2007. De acordo com o levantamento, as regiões Norte e Nordeste cresceram abaixo da média nacional em 2007.


Naquele ano, o Produto Interno Bruto (PIB) do país teve expansão de 6,1%. Já a região Norte teve expansão de 3,8%, enquanto o Nordeste cresceu 4,8%. As demais regiões tiveram alta acima da média, com o Centro-Oeste liderando, com uma expansão de 6,8%. No Sul, o crescimento foi de 6,5%, e no Sudeste, de 6,4%.


De 1995 a 2007, no entanto, a região Norte teve o maior crescimento, de 73,6%, bem acima da média nacional, de 39,8%. Nesse intervalo, o Nordeste cresceu 44% e o crescimento real acumulado do Sudeste foi de 33%. A Região Sul cresceu 39,9% no período, quase igualando a média brasileira (39,8%), enquanto no Centro-Oeste a expansão foi de 63,5%. Nesse mesmo período, por estado, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul tiveram expansão abaixo da média, de 26%, 32% e 30,9%. O estado do Mato Grosso teve o maior crescimento, de 111,5%, seguido pelo Amazonas, de 96,1%.


Participação


Com o crescimento abaixo da média, a região Sudeste perdeu participação na composição do PIB nacional. Em 1995, o SE contribuía com 59,1% da riqueza nacional. Em 2007, essa participação havia caído para 56,4%. O estado de São Paulo também perdeu participação, mas segue responsável, sozinho por mais de um terço do PIB nacional, ou 33,9%. Ainda no intervalo entre 1995 e 2007, todas as demais regiões ganharam participação. A região Norte passou a representar 5,0% do PIB nacional, ante 4,2% em 1995. No Nordeste, a alta foi de 12,0% para 1213,1%; no sul, de 16,2% para 16,6%; e no Centro-Oeste, de 8,4% para 8,9%.


Por estado, as maiores participações no PIB em 2007, depois de São Paulo, eram do Rio de Janeiro (11,2%), Minas Gerais (9,1%), Rio Grande do Sul (6,6%) e Paraná (6,1%). Já os estados que menos contribuíam, proporcionalmente, com o PIB nacional, eram Roraima, Acre e Amapá, todos com participação de 0,2%.


PIB per capita


Em 2007, o Distrito Federal se manteve na liderança do PIB per capita (PIB dividido pelo número de habitantes) do país, com R$ 40,696 mil. O segundo maior PIB per capita nacional era o do estado de São Paulo, de R$ 22,667 mil, seguido pelo Rio de Janeiro, de R$ 19,245 mil.
A R$ 4,662 mil, o PIB per capital piauiense era o menor, precedido pelo do Maranhão (R$ 5,165) e o de Alagoas (R$ 5,859).

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Brasil pede esforço para conter tensão no Oriente Médio

País manifesta preocupação com intensificação do conflito

Investimento

Educação de Nioaque entrega materiais esportivos para as escolas

Os itens vão diversificar as atividades físicas e recreativas das escolas

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo