X
Geral

Número de casamentos no Brasil aumenta 4,5%, diz IBGE

O casamento continua em alta no Brasil. De acordo com o relatório "Estatísticas do Registro Civil referentes de 2008" divulgado nesta quarta-feira (25) pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE), o total de casamentos registrados no Brasil aumentou 4,5% entre 2007 e 2008.


Segundo o IBGE, a melhoria aos serviços de registro civil de casamento, a maior procura dos casais por formalizarem suas uniões consensuais, incentivados pelo código civil renovado em 2002 e as ofertas de casamentos coletivos promovidos contribuíram para este crescimento estatístico.


O estudo mostra também que homens e mulheres estão casando mais tarde. Comparando 1998 e 2008, o número de casamentos de pessoas maiores de 15 anos no país cresceu 34,8%, superando o crescimento vegetativo da população nessa faixa de idade, que ficou em 21,4%.


Os índices de mulheres que se casam são maiores nos dois grupos etários mais jovens (15 a 19 anos e 20 a 24 anos). Os homens tiveram taxa mais elevada no grupo etário entre 25 e 29 anos (32,7%), sendo este valor mais elevado que o observado em 1998 (29,3%).


Outro dado curioso apresentado pelo estudo é que o número de casamento entre pessoas com mais de 60 anos aumentou nos últimos dez anos: 4% dos casamentos de 2008 contemplavam homens de 60 a 64 anos, mas apenas 1,6% das uniões tinham mulheres desta mesma idade. Em outras palavras, os homens mais velhos se casam com mulheres mais jovens.


O índice de casamento entre solteiros foi de 82,7%. Em seguida aparecem os casamentos entre homens divorciados com mulheres solteiras (7,4%); a união de mulheres divorciadas com homens solteiros (4,1%) e o casamento entre divorciados (2,7%). O Rio de Janeiro é o estado com a menor proporção de casamentos entre solteiros (77,3%) e que a porcentagem mais elevada foi obtida no Piauí, (92,9%).Os casamentos entre indivíduos divorciados atingiram as maiores proporções no Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo, com 3,8%.


Separações e divórcios


A taxa de separações manteve-se estável em relação a 2004, permanecendo em 0,8%, a de divórcios cresceu, chegando a 1,5%, a maior do período analisado. Em 88,7% dos divórcios concedidos no Brasil no ano passado, a guarda dos filhos foi concedida às mulheres.


O estado que mais registrou divórcios foi o Distrito Federal, com índice de 3,0%, seguido por Rondônia (2,6%) e Espírito Santo (2,4%). O estudo mostra que a grande maioria das separações judicias foram obtidas com consenso entre o casal (76,2%). As separações judiciais de natureza não consensual foram, em 71,7% dos casos, requeridas pelas mulheres.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Brasil pede esforço para conter tensão no Oriente Médio

País manifesta preocupação com intensificação do conflito

Trânsito

Batida entre motos deixa dois feridos em Anastácio

O acidente aconteceu na Rua Chico Bento, no Bairro Cristo Rei

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo