29 de outubro de 2020
Anuncie Aqui
-->
Geral

Preço do milho segue em alta

17 AGO 2007 - 13h54min
sato comunicação

A intervenção do governo federal, através dos leilões de Prêmio Equalizador pago ao Produtor (Pepro) e Prêmio de Escoamento de Produto (Pep), aliada à aceleração do ritmo das exportações brasileiras de milho pode ser apontada como razão para a sustentação do bom preço do cereal no mercado interno.


"Estas ferramentas de comercialização utilizadas pelo governo federal ajudam a direcionar parte da produção de milho para as exportações, o que acaba 'enxugando' internamente o mercado. Aí entra a lei básica de oferta e procura", explica o vice-diretor da Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM), Carlos Dupas.


Já a alta demanda mundial pelo milho contribuiu para que as exportações, no mês de julho, atingissem o patamar mais alto já registrado na história da commoditie: 1,04 milhão de toneladas, de acordo com dados divulgados pela Céleres Consultoria.
Segundo os analistas da empresa, a valorização mais significativa do grão foi verificada na região Centro-Oeste. Em Cuiabá, capital do Estado de Mato Grosso, o milho teve alta de 9,5% sendo cotado a R$ 11,50 a saca. Em Rondonópolis a saca foi comercializada a R$13,00, o que representa alta de 8,3%. Em Mato Grosso do Sul, a saca do milho foi vendida a R$ 16,00, nesta quinta-feira, 16/08 (Fonte: CIMA-CEASA)


Países importadores
Segundo o vice-presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), Eduardo Riedel, o Brasil deve exportar em torno de 8 milhões de toneladas de milho, em 2007. "Embora a maior demanda americana pelo produto - para produção de etanol - esteja contribuindo para esse aumento nas exportações brasileiras, o Irã, tradicional importador de milho do Brasil, também se destacou neste cenário, tendo adquirido um volume significativo do produto".


Dados também divulgados pela Céleres Consultoria dão conta de que o volume de milho coprado por este país, no mês de julho, foi de 812, 68 mil toneladas, sendo seguido por Portugal e Coréia do sul que adquiriram 137,46 mil toneladas e 52, 25 mil toneladas, respectivamente.


Incógnita
Sobre a melhora na competitividade do milho brasileiro para as exportações em função da taxa cambial observada nos últimos dias, o vice-presidente da BBM demonstra cautela, embora reconheça que a curto prazo, isso realmente aconteceu.


"Antes de afirmar que essa tendência vai permanecer temos que lembrar que o que estamos presenciando é uma situação de exceção. Por quanto tempo isso vai se manter?", questiona Dupas, lembrando que a resposta a essa pergunta uma incógnita e que a taxa cambial ainda está longe de ser a ideal.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

PMA sai para capturar gambá e acaba salvando vida jovem na ponte do rio Aquidauana

2
Saúde

Criança de 5 anos morre e é vítima mais jovem do coronavírus em MS

3
Policial

Homem é assassinado em fazenda de Jardim e PM apreende armas no local

4
Policial

Paciente com HIV ameaça "jogar sangue" para contaminar funcionários de hospital

Vídeos

Incêndio de grandes proporções consumiu atacadista, em Campo Grande

Em mais um acidente na MS-450, bombeiros resgatam vítima das ferragens

Onça-parda é flagrada 'passeando' por bairro e assusta moradores

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min22 max28

Aquidauana

Tempo severo,com chuva forte e trovoada de manhã, à tarde e à noite.
min22 max28

Anastácio

Tempo severo,com chuva forte e trovoada de manhã, à tarde e à noite.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
2,80m
Miranda
1,84m
Paraguai
(-) 24

Colunas e Blogs

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

"TODA A PARTE"

Valdemir Gomes

Como...

Rosildo Barcellos

Furacão na Botocúndia

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Escolas Particulares

Escola Irene Cicalise

Rua Cândido Mariano, 374 - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 3390
Restaurantes

Churrascaria e lanchonete Laçador II

Pedroso Alagues, s/n BR 262 - 79210-000 Anastácio/MS (67) 3245 0300
Moto Táxi

Moto Táxi Cidade

Rua Estevão Alves Corrêa, 482 Centro - Ponto de ref.: Frente à Drogaria Brasil - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-1904
Ver Mais
Fale com a redação