30 de novembro de 2020
Anuncie Aqui
-->
Internacional

Mundo não pode ficar calado diante dos fatos na Síria, diz Obama

Presidente dos EUA busca apoio para ataque às forças de Assad. Ele tenta obter aval do Senado ainda nesta quarta.

4 SET 2013 - 11h20min
G1
O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta quarta-feira (4) que a comunidade internacional não pode "ficar calada" diante dos acontecimentos na Síria.
 
"O primeiro-ministro e eu estamos de acordo com o fato que, diante de tal barbárie, não se pode ficar calado", declarou Obama em Estocolmo, em entrevista com o chefe do governo sueco, Fredrik Reinfeldt.
 
Obama disse ainda que foi o mundo e não ele que fixou a "linha vermelha" do uso de armas químicas na Síria.
 
Em função disso, acredita que o Congresso americano autorizará o uso da força contra o regime do contestado presidente Bashar al-Assad.
 
Quanto à Rússia, aliada da Síria, Obama afirmou esperar que o presidente russo Vladimir Putin mude de enfoque. "Se eu mantenho a esperança de que o senhor Putin possa mudar sua posição sobre algumas dessas questões? Sempre tenho esperança e vou continuar a abordá-lo", disse Obama.
 
Respondendo aos temores dos americanos em relação a uma nova ação militar de seu país, Obama assegurou que não quer repetir os erros cometidos pelos Estados Unidos no Iraque.
 
Obama também frisou que credibilidade da comunidade internacional está em jogo com a necessidade de responder ao ataque químico na Síria.
 
"A minha credibilidade não está em jogo. A credibilidade da comunidade internacional está em jogo", disse Obama em entrevista a jornalistas na Suécia.
 
No Senado
 
Um novo projeto de resolução elaborado na terça pelo Senado autoriza Obama a atacar a Síria durante o prazo de 60 dias, com uma possível prorrogação por mais 30 dias, segundo cópia do documento obtida pela AFP (Agence France-Presse). Ele pode ser votado ainda nesta quarta.
 
O projeto substituiria o texto enviado ao Congresso pela Casa Branca no sábado (31), criticado por dar muita liberdade ao presidente.
 
"A comissão de Assuntos Exteriores do Senado elaborou uma autorização do uso da força militar que reflete a vontade e as preocupações de democratas e republicanos", anunciou seu presidente, o democrata Robert Menendez.
 
A resolução "não autoriza o emprego de forças armadas americanas no terreno na Síria com o objetivo de operações de combate", e a intervenção deve ser "limitada", destaca o texto.
 
O novo projeto busca obter o apoio dos democratas e republicanos que permanecem reticentes, e poderá ser votado nesta quarta-feira (4) na comissão de Assuntos Exteriores, com debate no plenário do Senado a partir de segunda-feira.
 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Homem diz que vai buscar documento da filha e mata namorado da ex

2
Policial

Funcionário de fazenda desaparece e familiares temem perda de memória

3
Aquidauana

Moradores estão preocupados com a aglomeração na Avenida Pantaneta

4
Policial

Com golpes de facão, homem é agredido até a morte em briga de vizinhos

Vídeos

Vídeo de princípio de incêndio na Gruta de Piraputanga viraliza

Carga de carvão tomba e cai de carreta no trevo da BR-262, em Anastácio

Acidente entre carro e caminhonete mata homem carbonizado

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min24 max38

Aquidauana

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
min24 max38

Anastácio

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,59m
Miranda
4,06m
Palmeiras
1,81m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Mais...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

"NÃO APRENDI..."

Mariana Thomé

Saneamento básico: um privilégio ou uma realidade dis...

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Pesqueiros

Pousada Itajú - Estrada da Margem Esquerda

, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 9986-1334 www.pousadaitaju.com.br
Médicos

Jose Luiz Quelho - Ginecologista

Rua Pandiá Calógeras, 364 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3904
Restaurantes

Churrascaria Princesa do Sul

Rua Manoel Antonio Paes de Barros, 943 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 3946
Ver Mais
Fale com a redação