X

Acervo pessoal

Aqui… na nossa cidade… entre as ruas Pandiá Calógeras e a Estevão…

Quadra entre elas… na rua Marechal Mallet, sempre casas de comércio de tantas áreas surgiram, ponto central desse comércio a tantos anos e até hoje, tantas delas ainda estão presentes com outros nomes e donos a exercer essa profissão de ser comerciante… como no passado…

Fotografias antigas contam, mostrando estórias desse tempo…

Fotos tão bem, conservadas nos transportam a essa época…

Pois a nitidez é impressionante…

E entrando… querendo a reconhecer cada um dos presentes postados nessa foto… numa elegância como era a moda e o costume da época… lá estão eles… os homens de terno e gravata… as moças a pesar de estar sentadas na calçada do prédio, seus vestidos e sapatos mostrando a elegância exigia… as senhoras numa postura impecável… todos eles, autoridades, ou não, convidados a inauguração da casa “Colombo” de “Nicola Candia” e sua mulher Laly”

Casa de comercio de secos e molhados

Fotografia dos anos “1942”

Esse prédio solido que nos mostra a fotografia, foi aos poucos se transformando… sempre ao passar servindo sempre como casa comercial, surgiu assim a casa “Arima” de Mario Arima e sua mulher Amélia, tendo seu filho “Wilson” a nos atender casa de presentes, tantas novidades apareciam… brindes práticos eram ofertados aos seus clientes… gravados para sempre nos objetos seu nome… lembrança tão boa…

Ao passar dos anos tantas transformações apareceram no mesmo prédio… sempre ainda como comércio… Casa veterinária, com tantas “Traias” necessárias a uma fazenda seo dono “Valdenei, para uns o “Nei” e sua Suely”, pessoas que marcaram presença, seja na nossa cidade ou na comunidade católica…

Vendo… sentindo ao entrar no mesmo lugar… agora é bem diferente… estamos assim no mesmo lugar… só na casa de “Embalagens” sempre aberta a nos atender com muita presteza…

Em cada espaço dessa quadra da Mallet a procura da Estevão… sempre presente casas de comércio nos tempos antigos que já não existem mais… que marcaram uma época distante que ficou lá tras… assim a frente do palacete dos Alves Corrêa a casa de comercio secos e molhados de uma família grega “Filareto e dona Helena Diacópulus”… lembranças dessa senhora… sempre vestia “preto”.

No mesmo prédio e lugar… surgiu anos depois a Casa Leblom, comercio também de “Secos e Molhados” de Jaime e Ernesto Mendonça…

Hoje… ali está… prédio moderno… no mesmo lugar, daquele antigos é a Caixa Econômica… a ocupar cumprir ao sempre as regras de servir bem os seus clientes.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Geração de energia no Brasil tem expansão recorde de 18,7%

Números do 1º semestre são da Aneel

Polícia

PRF apreende 879 kg de maconha e recupera veículo em Campo Grande

Motorista fugiu e abandonou veículo

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo