Cultura

Curta de cineasta aquidauanense será um dos destaques do CineMIS nesta quinta-feira

Filme 'Ela veio me ver', do aquidauanense Essi Rafael, será exibido em Mostra que homenageia os 36 anos de MS

14/11/2013 08:30


O filme "Ela veio me ver", curta produzido em Campo Grande, pelo cineasta aquidauanense Essi Rafael, será um dos destaques do "Mostra Mato Grosso do Sul, da Imagem e do Som", que faz parte do projeto CineMIS. A FCMS (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul) promove a exibição na noite desta quinta-feira (14), a partir das 19 horas, no Museu da Imagem e do Som, localizado no Memorial da Cultura, Avenida Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar, em Campo Grande. A entrada é gratuita.
 
Gravado no ano de 2010, ?Ela veio me ver? foi financiado pelo FMIC (Fundo Municipal de Incentivo à Cultura) com um orçamento total de R$ 17.800,00, número baixíssimo dentro dos valores correntes do mercado de curtas-metragens brasileiros. A história aborda o primeiro encontro entre dois adolescentes durante uma tarde e circulou pelo mundo, sendo selecionado para festivais de cinema em São Paulo, Rio de Janeiro, Buenos Aires, Chicago e Nova York, entre outros.
 
Além do filme "Ela veio me ver", a programação desta quinta-feira prevê a exibição de mais seis curta-metragens. A "Mostra Mato Grosso do Sul, da Imagem e do Som" é uma homenagem aos 36 anos do Estado e pretende proporcionar ao público um panorama da sétima arte aqui produzida, reunindo desde obras e produções recentes a importantes filmes que compõem o rico e multifacetado patrimônio sociocultural sul-mato-grossense.
 
O projeto tem este mês a curadoria do produtor audiovisual Airton Raes e conta com a parceria da ACV-MS (Associação de Cinema e Vídeo de Mato Grosso do Sul) e do Colegiado Setorial de Audiovisual de Campo Grande. A Mostra também antecipa a realização do Fest Cine Vídeo América do Sul, realizado pelas instituições com apoio do FIC/MS.
 
Confira as sinopses.
 
14 de novembro (quinta-feira) ? Curtas-metragens
Do sul, Mato Grosso do Sul - Um grupo de São Paulo liderado por Ceará (Cléber Dias) vem a Mato Grosso do Sul para uma negociação. Tudo vai bem até que eles começam a chamar Mato Grosso do Sul de Mato Grosso e são corrigidos por Jacaré (Espedito Di Montebranco), o chefe local. Apesar dos avisos os paulistas resolvem debochar do problema e essa decisão não acaba bem. Inspirado no estilo Bang-bang de cinema, Do Sul, valoriza o nome correto do estado de Mato Grosso do Sul. Direção: Fábio Flecha. (Ação, 18 min, 2013).
 
Ela veio me ver - Delcides espera a chegada de Tatiane. Eles irão passar uma tarde juntos pela primeira vez. Uma chance para se conhecerem melhor e conversarem à vontade, sozinhos. Porém, por trás de assuntos triviais e aparentemente inofensivos existe um mundo de sentimentos. Ansiedade. Timidez. Insegurança. Medo. Até o pôr-do-sol. Direção: Essi Rafael. (Drama, 16 min, 2012).
 
Corguinho e seus ETS - Vídeo produzido na primeira edição do projeto Revelando os Brasis do Ministério da Cultura e do Instituto Marlin Azul mostra Corguinho, uma pequena cidade no interior do Mato Grosso do Sul, que há muito tempo vem sendo visitada por alienígenas. Pelo menos é o que garantem os moradores e os visitantes que afirmam ter feito contato com os ETs. Direção: Luciana Ferreira Nantes e Lidiane Lima. (Documentário, 14min, 2005).
 
Subsolo da Mente - O subsolo da mente se refere ao inconsciente e esse transita entre a realidade e o sonho. O tempo passa no mesmo instante que algo não sai do lugar ou de algo que volta sempre ao mesmo lugar assim, o espectador ora faz parte do mundo real, ora faz parte de um sonho. Imagens visuais possuidoras de uma profusão criativa de ordem e desordem caracterizando possíveis sentidos e significados. Direção: Mariana Sena. (Experimental, 5 min, 2009).
 
Chat - O curta-metragem é uma adaptação da crônica de Arnaldo Jabor e conta com as participações de Carlota Philippsen, Cleber Dias e Diana Steica. Com um roteiro sedutor, intrigante e com traços do expressionismo, o trabalho é um diálogo entre o amor, sexo e pitada de perseguição. Direção: Cid Nogueira. (Drama, 11 min, 2011).
 
Ana - Ao despertar, Ana tem uma série de devaneios e surtos acerca daquilo que todos os dias ela faz e insiste em refazer. Em uma manhã rotineira propõe-se mergulhar por suas contradições e conflitos, e nesse mergulho ela se encontra com sua essência quase que original. Como num sonho, construído com imagens arquetípicas, como se fotografássemos a psique de Ana, ela tem a oportunidade, mesmo que apenas imaginária, de se encontrar e refazer uma vida que tanto esperar para ser. Direção: Breno Benetti. (Drama, 15 min, 2012).
 
Dia de visita - Obra audiovisual que retrata o período da ditadura militar no Brasil e os horrores sofridos na época por meio das lembranças de Toninho, uma das muitas vítimas dessa realidade histórica. Direção: Reynaldo Barros. (Drama, 15 min,  2012).
 
Serviço
 
As exibições acontecem de segunda à quinta-feira e são gratuitas, sempre às 19 horas. A entrada é franca. O Museu da Imagem e do Som fica no Memorial da Cultura, Avenida Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar, em Campo Grande. O contato com o MIS pode ser feito por e-mail (mis@fcms.ms.gov.br) ou telefone (67) 3316-9178.

redação