Primeira noite no rio Sucuri foi cercada de lendas e saudades da família

'Pai da Mata' assustou aventureiros à beira do rio Sucuri.

15/11/2013 11:30


A primeira noite que nossos aventureiros passaram a beira do Rio Sucuri não foi nada fácil. Além da saudade da família que já começou a apertar, a lenda do ?Pai da mata? assustou os forasteiros.
 
Rhobson que na primeira noite à beira do rio Sucuri, eles armaram barracas em frente à casa do mineiro. O Leonel armou sua super barraca Campings World sobre o Unimog, com ventilador e sem perigo algum. Já Mac com sua barraca para duas pessoas e um travesseiro inflável passou a noite inflando o travesseiro que insistia em murchar.
 
Wilson, por sua vez, armou um acampamento pantaneiro entre os dois carros. Ele estendeu uma lona e embaixo armou a rede, que cedeu e ficou bem próxima ao chão. Com isso, ele ficou a noite toda tocando sapos que batiam na rede.
 
Rhobson levou uma barraca para três pessoas, com cama de campanha, colchão, bem preparado. ?Não sabia o que encontraria pela frente. Mas, não adianta ter conforto se não consigo relaxar?, conta relatando que passou a noite rezando e cuidando o acampamento já escutava barulhos mata adentro.
 
?De repente na mata ao lado caía uma arvore e pelo tamanho do barulho era muito grande, porém eu não ouvia barulho de motosserra, e muito menos de machado cortando. Os companheiros diziam que era o "Pai da Mata"?, conta, ainda receoso.
 
Ele diz ainda que nunca tinha ouvido tanto sapo em toda a sua vida. ?Olha que já morei às margens do córrego João Dias. A noite foi longa, entre rezas e pensamentos na vida. Só não podia pensar demais na família que a lágrima não se continha e escorria no rosto, saudades daquele "oi papai?, finaliza sobre a filhinha de dois anos.

redação