Em Aquidauana, homem espanca esposa, ameaça esfaqueá-la e é alvejado por PM

Vítima foi encontrada ajoelhada em frente ao marido. Mesmo baleado, homem tentou resistir à prisão.

08/04/2016 08:15


Um homem, 39 anos, foi preso por ter agredido a esposa, 46 anos, numa residência situada no Bairro Jardim São Francisco, na cidade de Aquidauana. O caso, ocorrido nesta quinta-feira (07), poderia ter terminado em tragédia se a Polícia Militar não chegasse a tempo ao local. O agressor acabou sendo alvejado por um dos policiais.
 
A situação de violência doméstica foi informada por meio de denúncia anônima ao Copom (Centro de Operações Policiais), que acionou uma equipe do Getam (Grupamento Especializado e Tático em Ações Motorizadas) para o atendimento. Na casa, os PMs viram o homem no quintal, com um facão em uma das mãos, enquanto a esposa se ajoelhava em frente a ele.
 
O Getam utilizou uma técnica internacional conhecida como ?uso progressivo", na qual a força é usada em níveis pré-estabelecidos e de acordo com o ato de violência ou resistência. A primeira tentativa consiste apenas em diálogo, mas o agressor não se mostrava aberto a conversar. ?Fiquem aí fora, se passarem do portão, vão ver no que vai dar?, gritava.
 
Após cerca de meia hora, com o homem pouco disposto a cooperar com a guarnição, a vítima aproveitou um momento de distração dele para se desvencilhar e correr em direção aos policiais. O marido correu atrás dela, mas foi impedido de se aproximar, ficando ainda mais irritado e ameaçando usar o seu facão contra a equipe do Getam.
 
Os PMs ainda tentaram insistir em dialogar, mas o homem se mostrava cada vez mais agressivo e investiu contra um dos componentes da guarnição, que conseguiu se esquivar dele. Na segunda tentativa de agressão, outro policial viu que não haveria jeito para contê-lo e acertou um disparo no pé esquerdo do envolvido.
 
Ferido, ele ainda tentou retornar ao interior da casa, mas os componentes do Getam alertaram que precisava de atendimento médico e que, caso se entregasse sem reagir, nenhum policial ameaçaria sua integridade física. O homem, finalmente, resolveu se entregar, sendo encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital Regional de Aquidauana. Em seguida, o Getam o apresentou na Delegacia de Polícia Civil de Aquidauana, onde foi autuado em flagrante pelos crimes de tentativa de homicídio, cárcere privado, desobediência e resistência à prisão?.
 
Ainda assustada, a vítima confessou que não foi a primeira vez ter sofrido com as agressões do marido.
 
?Ele sempre foi nervoso, eu já vinha sofrendo violência faz tempo, não queria dar queixa, mas hoje ele extrapolou todos os limites, hoje eu vi ele tão bravo que parecia ter sangue nos olhos?, relatou ela.
 
Uso progressivo da força
 
No chamado "uso progressivo da força", o disparo não letal é considerado o penúltimo nível do escalonamento, atrás apenas do tiro fatal. Segundo o policial militar que atirou na perna do homem, os componentes da PM são orientados a preservar a vida a qualquer custo.
 
"A vida deve ser protegida sempre e em qualquer situação, é o bem de maior valor do ser humano, por isso o autor foi alvejado abaixo da linha da cintura. Aquilo que as pessoas conhecem como tiro fatal somente é utilizado em casos extremos, quando todos os outros recursos já se esgotaram", explica o PM.
 
Segundo ele, a atitude do agressor de partir pra cima dos policiais foi decisiva para a decisão de efetuar o disparo, já que a ocorrência poderia caminhar para proporções muito mais graves.
 
"O autor tentou nos agredir com um facão e foi alvejado abaixo da linha da cintura [no pé], a partir de então, cessou a injusta agressão e, com isso, também cessou a necessidade de um desfecho fatal. Estamos empenhados a cumprir a lei e assim, dentro da legalidade e daquilo que é previsto como legitima defesa, que agiremos?, acrescenta.

da Redação