Intensificação das ações de controle garante redução nos índices de raiva em Mato Grosso do Sul

Em 2015, o Estado registrou o menor índice de focos de raiva com redução de 57% nos casos em relação a media dos últimos 8 anos

27/06/2016 11:25


 Campo Grande (MS) ? O ritmo intenso empregado nas ações de controle da raiva realizadas pela equipe da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) sinaliza que os resultados do balanço, que será fechado no próximo mês, devem superar positivamente os obtidos no mesmo período do ano passado. Segundo o coordenador do Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, médico veterinário Fabio Shiroma de Araujo, o controle da população destes transmissores é realizado através de visitas às propriedades rurais.

Organizadas com base em análise de risco da Raiva em todo o Estado, as ações de captura são direcionadas às regiões mais propensas à ocorrência da enfermidade, para busca de possíveis abrigos e realização da captura. O principal ponto que colaborou para uma redução significativa dos índices de raiva em Mato Grosso do Sul nos últimos anos foi o constante trabalho de orientação e educação sanitária com os produtores e trabalhadores do campo.

Em 2015, o Estado registrou o menor índice de focos de raiva com redução de 57% nos casos em relação à media dos últimos 8 anos, com a captura de 2.292 morcegos hematófagos.

GRAfico SEPAF

Somente nos dois primeiros meses deste ano a equipe contabilizou a captura de 307 morcegos hematófagos, em 27 municípios do Estado, resultado de 211 visitas às propriedades com maior risco de ocorrência da doença e 109 vistorias de abrigos. Neste mês de junho, já foram vistoriados 25 abrigos com captura e controle de 263 morcegos hematófagos.

Carlos Pires (Brasilândia) e Carlos Magno (Bataguassu)

Causador de enormes prejuízos à pecuária, em Mato Grosso do Sul a ocorrência da doença é favorecida pela sua posição geográfica, em consequência de fatores como a topografia e o clima favoráveis ao desenvolvimento de diversas espécies de morcegos, principalmente do morcego vampiro (hematófago) ? principal transmissor nos Herbívoros (bovídeos, equídeos, ovinos, caprinos).

Por se tratar de um animal silvestre e que se alimenta basicamente de bovinos e equinos, esses morcegos habitam geralmente locais de difícil acesso, tais como: casas e poços abandonados, regiões de morros e serras, tubulações sob rodovias, entre outros. Por isso é imprescindível que toda vez que o produtor e ou responsável tiver conhecimento de animais sendo espoliados por morcegos hematófagos e tenham conhecimento de possíveis abrigos para estes que comuniquem o Escritório da Iagro mais próximo.

Fábio faz questão e ressaltar que a raiva é uma doença fatal transmitida dos animais para o homem. ?Por isso é tão importante podermos contar com a participação do produtor rural na comunicação dos casos de animais com sintomatologia nervosa, conhecimento de abrigo com morcegos e presença de animais com sugaduras por morcegos hematófagos?. Essa comunicação poderá ser feita no Escritório da Iagro mais próximo da propriedade.

Nos casos de animais suspeitos, o médico veterinário explica que em hipótese alguma se deve manusear estes animais sob o risco de adquirir a doença. ?Caso qualquer pessoa entre em contato com animal suspeito ou venha a ser agredido por morcegos, cães, gato, de procurar imediatamente o Posto de Saúde mais próximo?, orienta.

Para mais informações, o contato pode ser feito por telefone, no (67) 3901-2728, na Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

 


Kelly Ventorim, assessora de comunicação da Sepaf e Iagro