Policial

Morta pelo namorado, mulher assassinou ex durante espancamento há 18 meses

Ivone iria a júri popular nos próximos dias e tinha extensa ficha criminal

31/07/2016 17:00


Espancada e morta a tijoladas e pauladas na noite de ontem pelo namorado com quem convivia há apenas um mês, Ivone dos Santos Souza, de 30 anos, tinha extensa ficha criminal e, inclusive, iria a júri popular nos próximos dias por matar o ex-marido Rodrigo Fausto Esgalha, de 32 anos, em janeiro do ano passado, durante sessão de espancamento, em Aparecida do Taboado.
 
Apontado como o principal suspeito de ter matado Ivone, Bonifácio Borges Aparecido, de 27 anos, continua preso na delegacia da cidade. Ele espancou a companheira depois de desentendimento durante uso de droga. Os dois fumavam crack em uma casa.
 
Uma amiga da vítima é testemunha do crime e também chegou a ser agredida por Bonifácio. Ele foi preso ontem à noite em flagrante.
 
VÁRIOS CRIMES
 
Ivone era conhecida pelas polícias Civil e Militar da cidade. Investigador contou à reportagem que ela era usuária de drogas e que cometia muitos furtos na cidade para manter o vício.
 
Um dos crimes cometidos por ela foi em janeiro do ano passado, quando matou o ex-marido Rodrigo com uma facada.
 
A investigação policial concluiu que a mulher usou uma faca para matar o homem quando ele a espancava. Três dias antes do crime, Ivone procurou a delegacia da cidade para registrar boletim de ocorrência contra o ex-marido, segundo ela, o homem a ameaçava por ter terminado o relacionamento poucos dias antes.
 
O crime foi denunciado à Justiça em fevereiro do ano passado, mas Ivone respondia ao processo em liberdade desde novembro de 2015. Segundo juiz da 1ª Vara, ela não oferecia riscos a ordem pública e, por isso, revogou a prisão preventiva.
 
No início deste mês, oficial de Justiça tentou intimar Ivone sobre o júri popular a que ela seria submetida, no entanto, a mulher mudou de casa e não foi localizada. O procedimento deveria acontecer nos próximos dias.
 
Agora o processo será arquivado pela morte de Ivone e de autora, ela passará a vítima em futuro julgamento de Bonifácio.

Correio do Estado