Empresa de cosméticos tenta burlar fisco com carga escondida em caminhão rebocado

22/01/2017 14:31


 Em um flagrante no mínimo inusitado a Secretaria de Fazenda (Sefaz), por meio das unidades móveis, apreendeu na quinta-feira (19) na BR-262, a 20 quilômetros de Campo Grande, uma carga de cosméticos avaliada em R$ 216 mil totalmente irregular. De acordo com informações dos fiscais tributários que realizaram o flagrante, a carga foi descoberta ao abordarem um veículo guincho que carregava uma caminhonete F-350 em cima.
 
Durante fiscalização de rotina, os fiscais abordaram o veículo. Ao ser questionado, o motorista do guincho disse que o caminhão tinha quebrado e que faria o transporte a uma oficina. Nesse momento, um dos fiscais tributários subiu para fazer a vistoria, quando se deparou inúmeras caixas na carroceria da caminhonete que supostamente estaria quebrada.
 
Ao ser descoberto o motorista apresentou diversas notas com destino à cidade de Andradina, em São Paulo, mas nenhuma que o autorizasse a circular com a mercadoria em Mato Grosso do Sul. Com isso, os produtos foram apreendidos e encaminhados para a Coordenadoria de Fiscalização de Mercadorias em Trânsito (Cofimt).
 
?Essa empresa é reincidente e tem nos dado bastante trabalho. O valor da carga foi avaliado em R$ 216 mil. Entre impostos e multa terá que pagar mais R$ 69,4 mil.  Assim que os valores devidos forem quitados a carga será liberada?, informou o coordenador da Cofimt Marcelo Monteiro.
 
Até o fechamento desta edição, os produtos ainda se encontravam na coordenadoria de fiscalização de mercadorias em trânsito. 
 
As unidades móveis da Sefaz são veículos equipados com comunicação via satélite e Celular GSM (3G), o que permite o uso online dos sistemas da secretaria para análise em tempo real de documentos e dados. 
 
Elas são direcionadas a locais estratégicos a fim de realizar blitz fiscais para analisar documentos de mercadorias em transporte. O objetivo é coibir a possível prática de evasão fiscal e ampliar os trabalhos de fiscalização de ICMS. A medida faz parte do processo de desburocratização instituído pela gestão do governador Reinaldo Azambuja.

Governo do MS