Radialista de MS destaca a cultura do tereré para Silvio Santos

20/02/2017 16:23


Se queria um minuto de fama, o radialista Bruno Callegari, 21, de Caarapó, a  337 quilômetros de Aquidauana, sentido Paraná, conseguiu ir além.  Sua entrada, repentina, entre um apelo do ?quem quer dinheiro? e outro, na edição do último dia 12 do Programa Silvio Santos, no SBT, está rendendo o que falar. Ele levou para o apresentador um kit tereré. Alegando não conhecer do que se tratava, Silvio usou de alguns trocadilhos com o termo, despertando o riso do público. Assista ao vídeo aqui.

Indagado sobre como fez  para ficar frente a frente com Silvio, ele destaca que em outubro de 2016, através de amigos, conseguiu o telefone de Silvio Santos. Com o número em mãos, teve a sorte de falar com o próprio,  numa das investidas. No meio da prosa, depois de dizer que estava indo para São Paulo e que gostaria de conhecer o Sistema Brasileiro de Televisão, SBT, recebeu o convite para assistir a gravação de um dos programas.

Como o tereré é um dos mais fortes elementos da cultura sul-matogrossense, sendo matéria de pauta até do Fantástico, da Rede Globo, teve a ideia de levar um Kit.  Na breve conversa de 1 minuto e 32 segundos, conseguiu  projetar o nome do Estado e a cultura do tereré. Lembrou que ?como no Rio Grande do Sul tem o chimarrão, em Mato Grosso do Sul existe o tradicional tereré?. Sempre bem humorado, ao receber o kit Silvio Santos indagou como fazer para apreciar o produto. Bruno teve tempo para mostrar o ritual tão comum a todo sul-matogrossense.

Além fronteiras

Talvez nunca na história, o tereré tenha avançado tanto na preferência especialmente do público jovem, do que nos dias atuais.  Em Mato Grosso, por exemplo, relata-nos o jornalista Vivaldo da Silva,  que foi assessor do ex-prefeito Fauzi Suleiman, que o hábito já se incorporou definitivamente ao dia a dia das pessoas.  ?Aqui encontramos erva em qualquer lugar, grande parte oriunda de Mato Grosso do Sul?.  Lembra que em proporção cada vez maior o mato-grossense também tem experimentado o ?doce amargo que a sua erva tem?, lembrando trecho da canção Roda de Tereré do médico e compositor campo-grandense Paulo de Tarso.

Da Reação