Área rural de Aquidauana

Ossada encontrada na fazenda Santa Maria indica que é de homem desaparecido em 2014

Polícia Civil aguarda o laudo do teste de DNA para confirmar a identidade da vítima

01/11/2018 11:01


A Polícia Civil de Aquidauana aguarda o laudo de material genético da ossada humana encontrada na manhã do dia 19 de outubro na fazenda Santa Maria, distante 25km de Aquidauana, no sentido Taboco. A Perícia Criminal também esteve no local e a suspeita é de que vítima seja Edilson Carlos Cândido Xavier, de 51 anos, nome que constava em um documento encontrado junto à vítima.

Informações preliminares dão conta de que o homem morava no distrito de Piraputanga, no Sítio da Curva. A partir do achado, a PC passou a investigar o caso. Em agosto de 2012, a companheira de Edilson havia registrado um boletim de ocorrência por desaparecimento.

Na ocasião, eles tinham um relacionamento havia um ano e o companheiro disse que iria embora, mas não informou para onde e, segundo o relato da mulher, estaria embriagado.

Contudo, em fevereiro de 2014, equipe da PM abordou o casal em um bar em Piraputanga. Como havia um bo de desaparecimento de Edilson, os policiais orientaram para que fossem à DP a fim de retirar a comunicação de sumiço.

O caso

No mês passado, a Polícia encontrou junto à ossada, documentos que indicam que a vítima seria Edilson. Ao procurar a então companheira da vítima, ela relatou aos policiais que ele de fato estava sumido e que seria de Rio Verde do Mato Grosso. Questionada sobre quem seriam os parentes, disse que não os conhecia.

Segundo a ex-companheira, a vítima possuía falhas na arcada dentária e teria reconhecido o homem pelo crânio. A Polícia também procurou pelo último local de trabalho conhecido e iniciou buscas para localizar algum parente da vítima.

No local de trabalho de Edilson, apurado pela Polícia, o empregador confirmou que a vítima trabalhou de agosto a novembro de 2012, que fez o acerto e foi embora. Os policiais constataram, mediante comprovantes de votação de 1º e 2º turno que estavam na carteira junto à ossada, que Edilson votou nas Eleições de 2014.

Para a Polícia, o desaparecimento e provável morte da vítima aconteceu após outubro de 2014.

Ao rastrear os dados familiares, os policiais entraram em contato com um irmão do desaparecido, morador do Bairro Nova Aquidauana. Ele informou que há cerca de 20 anos não via a vítima e se colocou à disposição para que a Perícia colhesse o material genético a fim de comparar o DNA.

Agora a Civil aguarda o resultado do laudo para confirmar a suspeita de que a ossada encontrada é de fato de Edilson.

 


Redação