Política

Deputados de MS se preparam em Brasília para debater venda de armas

Projeto que torna menos rigorosas as regras para a posse e o porte de armas de fogo é considerado ponto mais polêmico da pauta da Câmara dos Deputados para esta semana.

29/10/2019 11:03


Deputados federais sul-mato-grossenses preparam-se para debater nesta semana projeto de lei que amplia o porte de armas. Incluído na pauta da Câmara dos Deputados desta terça-feira (29), o PL n.º 3723/19 torna menos rigorosas as regras para a posse e o porte de armas de fogo.

Segundo a Câmara, no texto do relator, deputado Alexandre Lei (DEM-SP) que deve ser levado a votação no Plenário, diminui de 25 para 21 anos a idade mínima para a compra de armas; fica permitido o porte de armas para os maiores de 25 anos que comprovem estar sob ameaça; aumentam as penas para alguns crimes com armas; e passa ser permitida a regularização da posse de armas de fogo sem comprovação de capacidade técnica, laudo psicológico ou negativa de antecedentes criminais.

A discussão promete acirrar os ânimos. Na última semana, o relator acusou a oposição de declarar guerra contra a medida. “A única coisa polêmica que pode ocorrer na pauta é a questão do armamento”, afirmou Dagoberto Nogueira (PDT) sobre as votações da semana.

Em MS, a proposta divide os parlamentares. Fábio Trad (PSD) adiantou que votará favorável em parte. Na avaliação dele, a ampliação do porte deve ser feita para um público específico. Ele também defende ‘critérios de ampliação com restrição’.

Pelas redes sociais, o deputado federal Loester Trutis (PSL) constantemente defende o porte de armas, inclusive postando vídeos de treinos de tiro. Ele não respondeu, contudo, a questionamento da reportagem sobre a pauta da semana até a publicação desta matéria, assim como os demais deputados federais do Estado.


Midiamax