Política

Cultivo de cana-de-açúcar no Pantanal volta ao debate na Assembleia

Assunto gera polêmica entre os parlamentares, que divergem sobre permitir ou não o cultivo nesta região

21/11/2019 14:22


Os deputados voltaram a debater na Assembleia a liberação para cultivo de cana-de-açúcar na região do Pantanal, por parte do governo federal. O assunto gera discordância entre os parlamentares, que se dividem entre aqueles que fazem críticas a esta possibilidade e outros que entendem que a produção pode ser feita de forma sustentável.

“A liberação do plantio (cana-de-açúcar) pode causar preocupação e efeito negativo até pela comunidade internacional, pois países que compra etanol do Brasil, exigem a preservação do meio ambiente, principalmente biomas como Pantanal e Amazônia”, disse o deputado Pedro Kemp (PT), crítico do cultivo.

Ele alega que este cultivo pode trazer consequências para o bioma (Pantanal) e que a questão teria que ser revista pelo governo federal. Já o deputado Zé Teixeira (DEM) criticou o discurso do colega e disse que esta avaliação está equivocada. “Existe este debate ideológico da esquerda, mas o que mudou é que está dando autonomia para o dono da propriedade”.

Para o democrata os produtores rurais já possuem uma série de exigência a cumprir e que as produções de cana-de-açúcar não serão necessariamente na região alagada do Pantanal. “Tem produções em Jaraguari, Sonora e Bandeirantes, que fazem parte da Bacia do Rio Paraguai, que por isso integram o Pantanal, mas se houver o cultivo nestes locais, pode ser feito com responsabilidade”, defendeu.

O tema foi novamente resgatado em plenário, após discurso de Kemp na tribuna. Quando houve a decisão (liberação), a maioria dos deputados se posicionou que deveria ter novos estudos e até avaliação, se com uma produção sustentável, este cultivo poderia vigorar no Pantanal.

 

 

 


CGNews