Policial

Pai que assassinou bebê já havia tentado matar o filho

05/02/2020 16:15


Evaldo Christian Dias Zenteno, de 21 anos, já havia tentando matar o filho Miguel Henrique, de 2 anos, no dia 19 setembro do ano passado, arremessando-o no chão, segundo a nova denúncia do MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Ele, que é réu confesso, já responde por homicídio triplamente qualificado.
 
Conforme a Instituição Ministerial, uma testemunha contou, em audiência de custódia realizada em dezembro do ano passado que, sete dias antes de matar o filho afogado numa bacia para se vingar da ex-mulher, Thayelle Cristina Bogado dos Reis, 21 anos, mãe da criança, o acusado havia tentado matar o bebê. O fato aconteceu na casa do pai do autor, em Aquidauana.
 
Com a agressão, o menino perdeu a consciência e foi socorrido para uma unidade de saúde, para receber atendimento médico. Segundo a denúncia, o réu agiu por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima.
 
Caso:

O aquidauanense Evaldo Christyan Dias Zenteno, de 21 anos, foi preso pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar nesta quinta-feira (19), em Campo Grande, depois de matar o filho Miguel Henrique dos Reis Zenteno, de apenas dois anos, afogado. O autor disse que cometeu o crime para se vingar da ex-mulher, mãe da criança, também de Aquidauana.

Conforme boletim de ocorrência, o caso veio à tona quando a criança deu entrada na Santa Casa. Os médicos suspeitaram das causas da morte e acionaram a polícia. O Choque foi ao local e conversou com Evaldo, que relatou que havia sido vítima de um roubo e que na ocasião levaram o carro e jogaram o filho em córrego na Avenida Presidente Ernesto Geisel.

Ele detalhou que por volta das 15 horas estava em um carro emprestado e que parou em uma conveniência para comprar Todynho para o filho. Quando retornou, foi roubado por dois homens com capuz, que sequestram Miguel e o levaram junto com o carro, jogando-o no córrego. No entanto, o rapaz não sabia dar mais informações, fato que chamou a atenção dos policiais.

Questionado novamente, Evaldo mudou a versão da história e disse que queria se vingar da ex-mulher. Ele não aceitava o fim da separação e chegou a cogitar uma suposta traição. O rapaz informou que, por ter sofrido, também deveria fazer a ex sofrer e, incentivado por um amigo, acabou decidindo cometer o crime. Ele então mergulhou a cabeça do menino em uma bacia com água, até matá-lo.

Em seguida, para tentar despistar a polícia, levou a criança para a Santa Casa forjando a história do roubo. De acordo com a perícia, a vítima chegou morta ao hospital. Evaldo foi encaminhado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário do Centro (Depac) e vai responder por homicídio qualificado.

 

Da Redação