Aquidauana

Garota de 13 anos é socorrida por bombeiros após ser picada por escorpião em Aquidauana

06/02/2020 08:41


Jovem de 13 anos precisou ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros depois de ser picada por um escorpião na noite desta quarta-feira (06), em residência localizada nas imediações do campo de futebol da VIla 40.

Conforme apurado, os militares foram acionados por volta das 21h30 e, chegando ao local, se depararam com a vítima passando mal. Ela foi picada no dedo indicador da mão direita.

Como não havia detalhes sobre o tipo de escorpião que fez o ataque, ela foi rapidamente encaminhada ao pronto-socorro, para atendimento médico. Ela se recuperou bem e foi liberada.

PREVENÇÃO:

Segundo Waldemar Celestino, coordenador do controle de vetores de Aquidauana, o escorpião procura se alojar em locais onde consiga acesso a alimento, água e abrigo. “Para prevenção dos acidentes é necessário tampar os ralos das pias, tanques, banheiros, caixa de gordura, fretas das portas, além de realizar controle dos insetos que servem como alimento”, destacou. Os insetos que fazem parte da alimentação do escorpião são as baratas, grilos e aranhas.

Objetos acumulados e úmidos também são abrigos para esse artrópode, que se encaixa na classe dos aracnídeos. “É importante não deixar papelão ou outros materiais pelo quintal e dentro do imóvel, erguer os tapetes durante a noite e evitar acúmulo de água. Materiais como telhas, tijolos e madeiramento devem ser suspensos do solo e afastados da parede”. Afaste camas e cobertores das paredes também.

O que fazer quando alguém é picado por um escorpião? Waldemar explica que a vítima precisa “procurar uma unidade de saúde imediatamente e, se possível, levar o escorpião para a espécie ser identificada”. A gravidade do quadro clínico depende principalmente da espécie e de fatores como: idade, imunidade e doenças que possam agravar ainda mais a situação da vítima. 

É importante destacar que se o escorpião for encontrado na sua casa, mesmo que não tenha picado uma pessoa, ele deve ser capturado e encaminhado para o Controle de Vetores para a identificação da espécie. “Essa ação é de extrema importância para levantamento de quais espécies estão ocorrendo em nossa região. Também iremos instruir como o cidadão deve proceder para o controle desses artrópodes”, concluiu Waldemar. 

O Centro de Controle de Vetores fica na Rua Aniceto Rondon, 595 - Vila Cidade Nova e o telefone para contato é (67) 3241-6523. 

 


Da Redação