Aquidauana

O padre e a cidade: as mudanças incentivadas pelo Pe. Thiago Palmeira em Aquidauana

Pároco provocou uma revolução na paróquia e no município a partir de espiritualidade junto com os confrades

06/02/2020 13:40


"“Pe. Thiago Palmeira Machado, um pároco que provocou uma revolução na paróquia e na cidade a partir da espiritualidade junto com os confrades”
 
Quão árdua, difícil e penosa foi a missão de um padre jovem assumir uma Paróquia berço dos redentoristas da Província de Campo Grande no ano de 2015. Este jovem sacerdote assumiu a Paróquia Imaculada Conceição com quatro confrades, Pe. Thiago Palmeira Machado (pároco), Pe. Afonso, Pe. Sérgio e Pe. Francisco Cáceres. Ele nunca permitiu que chamassem ele de moleque, guri, pois era bem jovem, e alguns olharam pra ele subestimando. O tempo se encarregou de mostrar através da ação evangelizadora deste pároco que ele agiu com sabedoria, prudência pastoral ao ouvir os paroquianos, e sempre recorrendo a intercessão de N. Sra. da Conceição. Ele errou, falhou, pecou, mas reconheceu seus limites e sua determinação e desejo apostólico de avançar na evangelização superaram todos os desafios e defeitos. Sua piedade, amor a eucaristia, a liturgia, devoção a Virgem Maria sob o título de N. Sra. da Conceição, zelo pelo sagrado e seu profundo anseio para atender os esquecidos, os pobres, pisados era tão grande que ele direcionou a Pastoral do Dízimo a atender esta realidade: doação de cadeiras para acompanhantes dos doentes no Hospital Regional. O maior feito à luz da Doutrina Social da Igreja foi a fundação da ABIMC (Associação Beneficente Redentorista Imaculada Conceição) que começou atender a paróquia toda socialmente com cursos profissionalizantes, ações solidárias, bazares e etc. Esta associação foi formada por homens e mulheres da elite pensante da sociedade aquidauanense. O jovem sábio Pe. Thiago fez tudo isso em nome da comunidade redentorista, e ele soube sabiamente potencializar o dom de cada confrade. Direcionou eu Pe. Sérgio para a pastoral da liturgia, SAV, Pe. Afonso, os indígenas e o Pe. Francisco Cáceres o manteve respeitando sua caminhada estável já em andamento na comunidade. Testemunho que este padre jovem foi um mediador da graça de Deus na minha vida. Através do seu pastoreio eu pude implantar o SAV (Serviço de Animação Vocacional) formado por mais de 100 jovens e casais. Dentro do SAV surgiram as frentes jovens que ganharam autonomia, Fraternidade São Clemente (Acólitos), Fraternidade Santa Rosa (Servidoras) e Doutores da Alegria. As missas se tornaram solenes com um verdadeiro exército de jovens que passaram a servir o santo altar com decoro litúrgico, alegria e disponibilidade missionária, o SAV percorreu toda paróquia espalhando nas comunidades, instituições, hospitais, asilo, área rural, fazendas, aldeias, assentamentos a semente vocacional da alegria, da animação e da espiritualidade, animando a todos e os tirando da rotina pesada. A comunidade religiosa redentorista caminhava em fraternidade e comunhão. No ano de 2018 com a transferência do Pe. Afonso para o noviciado veio o jovem confrade Pe. Rodrigo de Castro que contribui de forma expressiva na pastoral e na convivência comunitária. Por fim, no dia 05 de fevereiro de 2019 veio a trágica notícia de sua morte no Hospital de Campo Grande, residindo apenas quinze dias nesta comunidade. Até hoje paro um pouco, penso e parece que não é verdade. Vou encerrar por aqui dizendo que o Pe. Thiago Palmeira Machado foi para mim um irmão, amigo, superior e o melhor pároco que eu convivi. Pois, ele me fez enxergar meu potencial missionário e pastoral, me desafiou e confiou em mim. Admiro este sábio sacerdote jovem redentorista, pois ele junto com os confrades causou uma revolução na Paróquia Nossa Senhora da Conceição a partir da espiritualidade e de sua fortíssima devoção a Virgem da Conceição, e mais tarde com a devoção a N. Sra. Desatadora dos Nós. Este pároco jovem e missionário redentorista dialogou com a sociedade, o poder público, os intelectuais, os pobres, as outras confissões religiosas. Provocamos uma verdadeira revolução na paróquia e na cidade. Estivemos juntos no período de quatro anos, nossa amizade, fraternidade e comunhão religiosa redentorista e ação evangelizadora na pastoral nunca foi abalada e não houve espaço para a divisão, muito menos inveja, ciúmes, isso não existia, porque as nossas diferenças eram vistas como dons e cada um reconhecia o potencial do outro, enxergavam o essencial, o tesouro do dom que cada um tinha para ser colocado a serviço do Reino da Vida, da paróquia. Deixo registrado aqui minha eterna gratidão a este grande amigo, confrade, e ao melhor pároco que eu já trabalhei!!! BRAVO!!! Grande missionário redentorista!!! Muitíssimo obrigado…kkkkkkk…um dia vai ouvir minhas gargalhadas aí no céu!!! Preservarei sua memória na acolhida aos jovens dando oportunidade a eles na igreja e motivando eles a crescerem na sociedade e na Igreja. Gratidão a você confrade!!!"
 
Homenagem feita no facebook pelo Pe. Sergio Lima, CsSr.

Da Redação