Mau gosto

“Amigo que é amigo não derruba” compartilha o Corpo de Bombeiros nas redes sociais

O novo viral da internet fez uma vítima fatal. Emanuela Medeiros, de 16 anos

14/02/2020 17:00


O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul usou as redes sociais para se posicionar contra a “brincadeira” que está viralizando na internet entre os adolescentes, chamada “quebra-crânio”. 

Tudo começou após um vídeo do youtuber Robson Calabianqui e, mesmo com a retirada do vídeo e pedido de desculpas, uma adolescente morreu vítima do trote. 

Essa ampla divulgação do vídeo aconteceu de forma muita rápida e, como tudo que esta na internet, os adolescente logo estavam com suas câmeras gravando o trote feito com os colegas, em que o maior risco é da pessoa cair e bater fortemente com a cabeça no chão, sofrendo traumatismo craniano.

Em Mossoró, no Rio Grande do Norte, a adolescente Emanuela Medeiros, de 16 anos, precisou passar por cirurgia após ser vítima do trote, mas não sobreviveu, vindo a óbito na última terça-feira (11). Há outro vídeo em que um senhor, de 60 anos, cai violentamente ao chão e fica desacordado. 

Diversas escolas do país começaram a campanha, em que o lema principal é “amigo de verdade segura”, para conscientizar os estudar os riscos que a brincadeira pode causar. Assim como os bombeiros do MS, que fizeram um vídeo para alertar os pais.

Veja o vídeo: 



Em Aquidauana, a Escola Centro Cristão de Ensino também se preocupou com o caso e está divulgando que “amigos não te fazem cair! Amigos te ajudam a levantar". 

7º BPM

Já o 7º Batalhão da Polícia Militar de Aquidauana, juntamente com a CCE, também reforçou os riscos que o “quebra-crânio” pode causar. “Tanto é que já podemos ver a divulgação da ‘hashtag’ #issonãoébrincadeira, como forma de orientar sobre os riscos da perigosíssima brincadeira de mau gosto. Vale lembrar que tal prática pode causar lesões irreversíveis ao corpo humano e até a morte. Os autores ainda podem responder pelo crime de Lesão Corporal Grave e até Homicídio Culposo”, divulgou o Batalhão em nota.

Alertas

A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) divulgou um comunicado nas redes sociais alertando sobre os riscos. "Esta queda pode provocar lesões irreversíveis ao crânio e encéfalo (Traumatismo Cranioencefálico - TCE), além de danos à coluna vertebral. Como resultado, a vítima pode ter seu desempenho cognitivo afetado, fraturar diversas vértebras, ter prejuízo aos movimentos do corpo e, em casos mais graves, ir a óbito", ressalta.

Para os praticantes o comunicado continua esclarecendo que podem ser penalizados por lesão corporal. "Os responsáveis pela brincadeira de mau gosto podem responder penalmente por lesão corporal grave e até mesmo homicídio culposo", diz SBN. 

O Deputado Estadual João Luiz (PRB) falou sobre o tema na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), na quarta-feira (12).

“Queremos alertar que essa brincadeira não pode se estender nas escolas e nas casas. Não queremos mais que essas fatalidades venham a ocorrer”, destacou.

Várias escolas no Brasil produziram vídeos condenando a prática do desafio e alertando aos alunos sobre as consequências da ação.



*Matéria editada às 17h26 para acréscimo de informações. 


Kamila Alcântara