Empoderamento

Mulheres de Anastácio criam movimento feminista de incentivo a leitura

O grupo busca o empoderamento feminino através da leitura

07/03/2020 09:00


Acontece nesse sábado (7), a partir das 16h, o 7º Encontro do Grupo Feminista Empoderadas pela Leitura, na Rua Índio Neco em Anastácio. O principal objetivo do grupo é a reflexão sobre a realidade das mulheres da região, independente da idade, orientação sexual, crença ou cor.

Segundo a organização, as únicas exigências para participar do grupo são o respeito ao próximo e abrir o coração para leitura, a leitura que busca o empoderamento das mulheres e adolescentes. 

Esse iniciativa foi criada pela professora de Anastácio, Flávia Rohdt, em julho do ano passado e, desde então, vem se fortalecendo a cada encontro. Juntas, elas já colocaram em pauta questões de política, economia, feminismo e maternidade. Como todo cidadão, elas criaram um grupo no Whatsapp, onde são quase 50 mulheres ativas.

“Hoje nosso grupo é utilizado para notícias, informações e campanhas de toda ordem e conta com 50 participantes. Temos também uma página no Facebook e um perfil no Instagran. Todo início de mês escolhemos uma obra, a qual tem o tempo de 30 dias para ser lida. Fazemos sempre no primeiro sábado de cada mês para discussão do livro lido”, explica Flávia Rohdt.

O grupo é eclético, há mulheres de todas as idades, religiões, orientações sexuais, posicionamentos políticos e credos. 

“Não há qualquer impedimento para participar. Entendemos que há a necessidade do acolhimento incondicional. Que toda forma de pensar é válida e que paradigmas só afastam as pessoas. No nosso grupo todas são convidadas a expressar o seu eu e a buscar sua identidade através do conhecimento”, ressalta Daiane dos Santos, uma das integrantes.

Para cada encontro mensal, presencial, entre as integrantes dos grupos e as convidadas, é feito antes uma escolha democrática de um livro, para ser lido durante aquele mês que antecede o encontro. As leituras são sempre diversas e de temas contemporâneos. 

Neste sábado, o livro a ser a discutido pelas leitoras será “Amor Líquido”, de Zygmund Bauman, que foi um sociólogo e filósofo polonês, professor emérito de sociologia e faleceu em 2017.Bauman é considerado um dos mais importantes pensadores contemporâneos.

A escolha desse livro e desse autor para o grupo é um reforço à estética feminista como ponto principal, incentivando as mulheres a lerem, conhecerem outras visões e reflexões e buscarem por meio das leituras conseguirem expor ideias e debater sobre todas as áreas do conhecimento. 

Em nota, as integrantes do grupo explicam que “Nesse mês, discutiremos Bauman e buscaremos entender o porquê das fragilidades dos laços das relações humanas, do que constitui a fluidez dos relacionamentos e de como as redes sociais influenciam o ‘amor líquido’”.


Kamila Alcântara