Aquidauana

Aquidauana está entre as cidades mais quentes do Brasil

Cidade só ficou atrás de Corumbá, que registrou 39,1ºC na segunda-feira

11/03/2020 16:27


Com as altas temperaturas e a baixa umidade do ar que têm atingido a cidade pantaneira nos últimos dias, Aquidauana ficou entre as cidades mais quentes e secas do país. Conforme levantamento do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), Aquidauana ficou em segundo lugar com 37,4ºC em MS. A líder no calorão é Corumbá, que registrou na última segunda-feira (9) a temperatura de 39,1ºC.
 
Na terça-feira (10) Corumbá ficou novamente entre as dez cidades brasileiras com as mais altas temperaturas, com 38,6°C. Além do calor, o clima seco também tem atingido maior parte do Estado. 
 
A cidade de Costa Rica registrou 20% de umidade do ar na segunda-feira e ficou entre os municípios mais secos do país. Corumbá e Amambai também integram a lista com índices de 21%, e Juti com 22%. Na terça, Amambai seguiu na lista acompanhada de Sidrolândia com 20% e 21%, respectivamente.
 
O tempo seco requer alguns cuidados com a saúde, pois a baixa umidade do ar provoca desconfortos como, ressecamento das mucosas e risco de infecções.
 
Uma das principais recomendações é manter o corpo hidratado, ou seja, ingerir bastante líquido e também usar cremes hidratantes para amenizar o ressecamento da pele, evitar exposição ao sol entre 10h e 16h, usar protetor solar, óculos de sol e fazer refeições leves. Nos ambientes, use umidificador de ar ou toalha umedecida. Não queime lixo nem provoque queimadas por descuido ou desatenção.
 
E a chuva?
 
Conforme o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), não há previsão de chuva significativa para os próximos dias. Ao menos até o dia 17 de março (terça-feira), o tempo segue firme em todo Estado, e a expectativa é de baixo acumulado de chuva, com volume de 16 milímetros para grande parte de Mato Grosso do Sul. Exceto na região extremo nordeste, onde as chuvas podem chegar a 70 milímetros, porém sem oferecer risco à população.
 
A partir do dia 18 de março, as chuvas devem retornar gradativamente ao Estado. Neste período, há possibilidade de elevação das chuvas em Mato Grosso do Sul, e os acumulados podem variar entre 30 a 60 milímetros ao longo do período, conforme boletim do Cemtec. “Nas regiões norte e nordeste do Estado, os acumulados poderão ser mais significativos do que nas demais áreas, entretanto ainda não oferece risco a população”.

Assessoria