Aquidauana

IFMS destina quase dois mil protetores faciais para aldeias

Iniciativa beneficiará indígenas e profissionais de saúde em vários municípios do estado, prevenindo a disseminação da Covid-19

20/05/2020 09:31


Como parte das ações de combate ao novo coronavírus, o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) já efetuou a entrega de 1.850 protetores faciais nas aldeias indígenas do estado.

O equipamento de proteção individual visa aumentar a segurança dos voluntários que têm atuado nas barreiras instaladas nas localidades, com o intuito de controlar o fluxo de pessoas; profissionais da saúde que atendem a população das aldeias; e grupos prioritários dentro das comunidades. Em Mato Grosso do Sul, já há registros de casos de Covid-19 em indígenas.

O Campus Dourados realizou na sexta-feira, 15, a entrega de 500 protetores faciais na Unidade de Atenção à Saúde Indígena – Polo Base. Os equipamentos atenderão profissionais e moradores da Reserva Indígena, que reúne os povos Guarani e Terena, com uma população de 15 mil pessoas. 

“A entrega materializa o compromisso social do IFMS, principalmente porque já foram registrados casos na aldeia Bororó. O material chegará no momento oportuno e contribuirá para que a equipe de saúde que atende a comunidade indígena esteja preparada para esta luta”, comenta o diretor-geral do Campus Dourados, Carlos Vinícius Figueiredo.  

Esta foi a terceira entrega de protetores faciais a aldeais indígenas realizada pelo IFMS desde que se iniciaram as ações de combate à doença.

Aquidauana – A maior entrega, até agora, foi feita pelo Campus Aquidauana do IFMS. Na ocasião, foram entregues 1.150 protetores para profissionais da saúde e moradores das aldeias – que possuem mais de oito mil moradores dos povos Guarani e Terena – localizadas nos municípios de Anastácio, Aquidauana e Miranda.

“As comunidades precisam ter uma proteção adequada. Na entrega, também explicamos o processo de uso dos equipamentos e higienização. É uma iniciativa muito importante para a unidade porque também atende nossos estudantes que residem nas comunidades”, explica a diretora-geral do Campus Aquidauana, Hilda Romero. 

O campus efetuou ainda a distribuição de álcool 70% produzido e envasado em parceria com o Rotary Clube do município. 

Jardim – A outra entrega de equipamentos de proteção individual foi feita pelo Campus Jardim do IFMS. No total, foram destinados 200 protetores para profissionais da saúde e população indígena do município de Nioaque. A comunidade local reúne 1.500 moradores do povo Terena.

"Temos recebido vários pedidos por protetores faciais. Um deles foi feito com o objetivo de proteger a população indígena de Nioaque, que podemos atender por meio das parcerias que vêm sendo estabelecidas”, destaca a diretora-geral do Campus Jardim, Sirley Oliveira. 

As ações do IFMS já permitiram o atendimento de demandas dos hospitais e secretarias de saúde locais e do município de Guia Lopes da Laguna, além do Corpo de Bombeiros.

Parcerias – A impressão dos protetores faciais, utilizando tecnologia 3D, tem sido realizada por meio de uma série de parcerias firmadas com o Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Sindicato Rural de Campo Grande e Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul, entre outros parceiros, que permitem o recebimento de material para confecção dos equipamentos e a distribuição dos equipamentos de proteção pelo estado.

“O IFSP tem produzido suporte para protetores por injeção, por isso eles conseguem produzir em grande escala. Como a demanda era grande, eles nos ajudaram doando os suportes para os protetores. Já as placas de acetato e perfuradores vieram da doação do Sindicato Rural”, informa a diretora de Pesquisa e Inovação do IFMS, Ivilaine Delguingaro. 

Além das unidades já produzidas para as comunidades indígenas, o IFMS espera produzir mais 1.100 protetores. A demanda partiu da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), responsável por coordenar e executar políticas de saúde aos povos indígenas, além de gerir o processo de gestão do tema no Sistema Único de Saúde (SUS). 

“A Sesai fará a distribuição nas aldeias, uma vez que as mesmas estão fechadas, sendo que só os profissionais da saúde têm acesso às comunidades. Trata-se de uma iniciativa vinculada ao projeto de combate ao coronavírus do IFMS, que atende todo o estado desde março, através da impressão 3D em nossos dez campi”, enfatiza.

Ações – Nos campi Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas, o IFMS tem desenvolvido uma série de ações para enfrentamento ao novo coronavírus, junto a estudantes, servidores e comunidade.

Além do conserto de respiradores, impressão de protetores e arrecadação de alimentos, também estão em andamento ações como a produção de álcool em gel e álcool 70%, criação de aplicativo voltado ao público de risco, campanha de prevenção, produção de luvas e máscaras. 

O IFMS realiza ainda a seleção de projetos de extensão, com auxílio institucional, para o combate à Covid-19, além da oferta dos auxílios emergenciais a estudantes. 


Assessoria