Economia

Empresários do turismo se manifestam contra a antecipação de feriados no MS

A medida foi apresentada pela OAB MS

22/05/2020 17:19


Após sinalização de possível adiantamento de feriados nacionais e regionais no Mato Grosso do Sul, a Associação Visit Pantanal emitiu manifestação contra essa medida, idealizada primeiramente pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). A Ordem defende que antecipar nove feriados diminui os impactos econômicos, mas os empresários do turismo acreditam que isso irá prejudicar ainda mais esse setor.

Atual epicentro do Covid-19 no país, muitos municípios de São Paulo adiantaram os feriados, para que fossem cumpridos durante o período de isolamento social, como forma de não fomentar a economia no retorno das atividades pós-pandemia.

Ontem (21) o Governo do Estado do MS sinalizou analisar o pedido feito pela Ordem, que alteraria os feriados em dias consecutivos decididos pela própria administração pública. As datas alteradas seriam: 11 de junho - Corpus Christi, 13 de junho - dia de Santo Antônio, 26 agosto - aniversário de Campo Grande, 7 de setembro - Independência do Brasil, 11 de outubro - aniversário de Mato Grosso do Sul, 12 de outubro - Nossa Senhora da Aparecida, 2 de novembro - Finados, 15 de novembro - Proclamação da República e 25 de dezembro - Natal.

Em nota de manifestação contra essa iniciativa, a Visit Pantanal, que representa 31 empresários do setor turístico de seis municípios, pontuaram que reduzirá ainda mais as opções de trabalho do setor, que já está sendo atingido agressivamente pelas paralisações devido ao Coronavírus.

“Não podemos perder mais nenhum dia de trabalho. Os feriados serão uma alternativa de recuperação de fôlego, se tudo caminhar bem, serão as oportunidades de trabalharmos e tentarmos recuperar o prejuízo do primeiro semestre do ano”, destacou Cristiane Moreira, presidente da associação.

Selo sanitário

Entre os seis municípios representados pela Visit Pantanal está Bonito, que no começo da semana, a Secretaria de Turismo e comerciantes anunciaram que vão começar a aplicar o selo de biossegurança para retorno gradativo das atividades.

Porém, na 1º edição do MSTV da TV Morena, o secretário de Saúde do MS Geraldo Resende declarou que estará em reunião com todos os prefeitos de regiões turísticas, pois considera inadequado qualquer abertura de atividade que levem a um grau de contaminação.

“A região ainda é desprovida de leitos de UTIs , todas as pessoas que precisarem desses leitos vão vir para Campo Grande, a média de 8 a 10% de pessoas que vão precisar de internação e mesmo com todo esse preparo que já montamos, não será suficiente”, declarou Resende em entrevista ao vivo.

O boletim epidemiológico de hoje informou que já são 805 casos confirmados de Covid0-19 no Mato Grosso do Sul. Desses, 32 estão internados, 487 em isolamento domiciliar, 269 recuperados e 17 óbitos.

 


Kamila Alcântara