Crime ambiental

Pai e filho são presos pela PMA de Corumbá após arrastão com rede de pesca no rio Paraguai

Foram conduzidos para a delegacia da PF

25/07/2020 09:30


Pai e filho foram presos pela PMA (Polícia Militar Ambiental) de Corumbá, ao serem flagrados realizando arrastão com uma rede de pesca no rio Paraguai, nesta nexta-feira (24).

Os policiais realizavam fiscalização no rio Paraguai na região próxima ao Distrito de Porto da Manga, quando flagraram, no local conhecido como Boca do Taquari, dois pescadores de 60 e 24 anos, utilizando rede de pesca, que é um petrecho proibido.

Eles estavam em uma embarcação e usavam a rede de pesca em uma modalidade conhecida como arrastão. Conforme a PMA, os dois iniciavam a pescaria e foi encontrado apenas um exemplar de pescado da espécie cachara.

Foram apreendidos um barco, um motor de popa de 25 HP com tanque, uma rede de pesca, dois molinetes e uma carretilha com varas e o peixe, pesando 4 quilos.

Pai e filho, residentes em Corumbá, receberam voz de prisão e foram conduzidos à delegacia de Polícia Federal. Eles responderão por crime ambiental de pesca predatória. Se condenados poderão pegar pena de um a três anos de detenção. Os pescadores também foram autuados administrativamente e receberam multa total de R$ 1.560,00.

Prisão deste tipo indica a necessidade de fiscalização preventiva 24 horas nos rios, pois se os dois tivessem mais tempo e encontrassem um cardume, o dizimariam rapidamente com este tipo de arrastão com a rede.


Da redação