Clima

Possível chuva no fim de semana será mais que um alívio, mas salvação

15/08/2020 07:30


Uma névoa seca, cinza de fumaças e poeira está cobrindo todo Mato Grosso do Sul. A estiagem, aliada com as agressivas queimadas no Pantanal, estão castigando a biodiversidade e a população, a ponto de encobrir a Serra de Maracaju, o Paxixi e até Campo Grande.

As entidades responsáveis pelo monitoramento do clima estão prevendo chuva para região de Aquidauana e do Pantanal neste domingo (16), o que aliviaria e muito toda essa sequidão.

“As queimadas em Mato Grosso e no Pantanal estão influenciando a visibilidade e as condições de umidade inclusive aqui na Capital. Portanto isso é fato e só acaba com a chegada de frente fria, o que deve ocorrer domingo”, disse o meteorologista Natálio Abrão para O Pantaneiro.

O mais preocupante de toda essa situação, é que o crescimento dos focos de queimadas estão em ritmo acelerado em nosso Estado, colocando em risco a fauna, a flora e também a saúde das pessoas.

“Estes focos, aliados às longas estiagens que estamos enfrentando castigam ainda mais a rica biodiversidade pantaneira. E nós, seres humanos, dependemos e fazemos parte dessa biodiversidade! Se o fogo mata e asfixia a fauna silvestre, também faz isso conosco”, alerta o biólogo e doutor em ecologia Fernando Ibanez, de Aquidauana.

Fernando acredita que a solução não vem apontando possíveis grupos mais causadores de incêndio, pois está claro que é ação humana. Mas, como é o homem o causador, que ele mesmo busque em suas tecnologias a melhor forma de planejar um monitoramento com punição eficaz.

“Visto que as queimadas são nocivas e seus impactos atingem grandes extensões (como pode ser percebido em Campo Grande neste período), cabe à população exigir que seus gestores atuem para identificar a fonte dos incêndios e punir severamente os responsáveis. O controle do fogo, depois que ele começa, é extremamente importante e necessário, mas é um paliativo”, defende Fernando.

A esperança é que este sábado comece a queda das temperaturas, com o sol entre nuvens e o domingo amanheça com as chuvas caindo em toda região, aliviando assim uma batalha incessante, mas que não será a última contra os incêndios no Mato Grosso do Sul.

 


Kamila Alcântara