Saúde

Aneurisma cerebral tira aquidauanense de evento de Vale Tudo Profissional

14/11/2020 07:55


O aquidauanense, Vitor Cardoso, se preparava para participar do Shooto Brasil 104, que acontece dia 13 de novembro, na Upper Arena, no Rio de Janeiro, mas o que parecia ser um sonho, tornou-se um pesadelo quando o atleta descobriu que estava com aneurisma cerebral (fraqueza em um vaso sanguíneo do cérebro, que infla e se enche de sangue).

A notícia veio no dia 29 do mês passado, há quinze dias da tão esperada luta no Shooto, competição que é transmitida ao vivo na televisão. Cardoso estava treinando forte e se sentia bem para a luta, mas após a realização dos exames obrigatórios solicitados pela Comissão Atlética de Artes Marciais Mistas (MMA) do Brasil, soube do diagnóstico. "Estava na reta final de preparação, essa luta seria importantíssima na minha carreira e como precisa de exames para o evento, fiz em Campo Grande há duas semanas atrás. O médico me chamou para refazer os exames e nesta semana saiu o laudo." Conta o lutador.

Sem entender muito bem o que o laudo diagnosticara, Cardoso encaminhou os exames à comissão de MMA e então soube da aneurisma cerebral. "Encaminhei para a comissão atlética e então eles analisaram e um médico me ligou informando. Ele disse que não sabia nem como me dar essa notícia, mas quando eu soube, nunca me senti tão triste na vida."

Aquidauanense foi campeão mundial em 2017 

O sul-mato-grossense começou a treinar aos 13 anos de idade. A primeira modalidade que ele se aventurou foi no muay thai. Depois de alguns anos no esporte, resolveu treinar jiu-jitsu e boxe, e a partir dai, esse foi seu estilo de vida. O lutador de MS já foi três vezes campeão brasileiro e três vezes estadual da modalidade. Além disso, Vitor Cardoso ainda conta com um títutlo no Campeonato Mundial de 2017, em Bangkok, Tailânida.

Cardoso conta que não teve um dia sequer, nesse tempo, que não pensara em luta. "Ficava pensando em um treino novo para fazer e melhorar, e em junho recebi a proposta que sempre esperei, lutar em um grande evento de MMA, o Shooto Brasil. Eu já estava treinando forte e comecei a treinar mais ainda para essa luta. Nunca tinha me sentido tão preparado como estou agora, bem de preparo físico, mentalmente e tecnicamente, mas infelizmente não lutarei."

Temporariamente vetado de participar de esportes de combate por causa das pancadas na cabeça, o aquidauanense não se abalou mais e resolveu encarar o novo desafio na sua vida. Cardoso então foi atrás de um dos melhores neurocirurgião de Mato Grosso do Sul, e começará seu tratamento para retornar mais forte.

"Não é algo fácil, mas vou fazer os tratamentos e aguardar para poder retornar. Começa uma nova luta para mim, irei começar o tratamento para reverter essa situação e ano que vem estar de volta ao que amo. Nesse tempo, irei me dedicar aos meus alunos e não irei desanimar nunca, grandes batalhas só são dadas a grandes guerreiros". Concluiu o atleta.


Gabriel Sato - Esporte Ágil