Ignorância

Após ser presa por torturar a filha em ritual de cura, mãe é solta e policia continua investigação

11/01/2021 14:29


Já está solta a mãe da menina de 3 anos, que foi vítima de um "ritual", realizado, segunda ela, porque a criança não estava conseguindo ir ao banheiro há 10 dias. 

Ela foi presa por tortura, após a polícia ser acionada no Hospital Regional de Aquidauana, logo depois da menina dar entrada e passar por consulta com um médico plantonista, que atende uma aldeia indigena da região.

De acordo com informações passadas pela polícia, ainda há uma investigação correndo, para saber se a criança foi ou não abusada sexualmente. Tendo em vista, que em depoimento à polícia, a mãe disse num primeiro momento que o padrasto havia cometido abusos contra a menina, entretanto ao ser ouvido pela delegada que cuida do caso, o homem negou o crime. 

Novamente em depoimento, a mãe entrou em contradição sobre os abusos e não contou porque mentiu, afirmando que o comapanheiro havia abusado das criança.

Perguntada do porque das queimaduras que a filha havia sofrido a mãe disse que ela não estava conseguindo ir ao banheiro há dez dias, por isso a levou em uma curandeira, que acabou torturando a menina com uma tijolo quente. 

A polícia ainda aguarda o depoimento da “curandeira", para entender o que de fato aconteceu naquele dia. Já que a vítima chegou em estado grave ao hospital. Além dela, outros familiares tambem serão ouvidos para que a investigação seja concluída. 

A mãe pode responder pelo crime de maus tratos, por ter feito a filha sofrer, por pura ignorância. 

Conforme informações a criança passou por uma lavagem intestinal e está aos cuidados do abrigo. Cabe ao conselho tutelar decidir se ela voltara ou não aos cuidados da mãe. 
 


Redação