Há 29 anos

Para os 100 anos da cidade, O Pantaneiro fez revista que marcou época

As 163 páginas, que reuniram conteúdo produzido a muitas mãos, contaram a história do centenário

05/04/2021 16:40


Há 29 anos, O Pantaneiro contava a história da Aquidauana centenária em 163 páginas impressas no maquinário, já castigado pelo tempo de uso, como descreveu Lima Neto, o editor, no editorial à época. É a mesma off-set que até hoje coloca tinta no papel por aqui. Quem diria, que mesmo cansadas, as ferragens virariam o século, e continuariam firmes e fortes, dando vida a este jornal, semana a semana. 
 
Mas não é sobre o parque gráfico de O Pantaneiro que viemos divagar aqui e sim, sobre a revista, uma das dezenas de projetos tocados pelo ousado editor deste semanário, editada em 1992 para homenagear Aquidauana, que completava 100 anos naquele 15 de agosto. 
 
Pensada como um presente para a cidade, a publicação “foi um trabalho de muitas mãos”, descreveu Lima Neto, e elaborado aos trancos e barrancos. “Tínhamos muita vontade e todos os desafios pela frente”, definiu naquele prefácio.
 
Dá para imaginar o “ufa” que foi reunir todo o conteúdo ofertado pelos mais de 40 nomes listados logo na terceira página do material. “Juntamos poetas, pintores, fotógrafos, professores, escritores, jornalistas, músicos, historiadores, aquidauanenses, daqui e distantes. Todos os que pudessem contribuir com espécie de monumento de palavras ao centenário”, também elencou o editor. 
 
Mas, o mais curioso é que a revista foi publicada não só como uma homenagem, mas como uma promessa, de começar e estimular a organização das memórias da cidade. “Quiçá possamos com a participação de outros aquidauanenses, de nascimento ou adoção, cumprir este compromisso, com certeza um presente perene, que a Aquidauana Centenária bem o merece”, concluía Lima Neto naquela apresentação em tributo ao centésimo aniversário da cidade.
E não é que, de um jeito ou de outro, até hoje O Pantaneiro está nesse compromisso. Não é à toa que em 2020, quando completou o 55° ano de existência, este jornal começou a divulgar textos sobre situações vividas por moradores de Aquidauana, Anastácio e região. 
 
O projeto “Memórias Pantaneiras” traz conteúdo do passado, já registrado nas páginas deste impresso ou não. Algumas das memórias são escritas à mão pelos nossos mais antigos moradores. Todo o conteúdo enviado por colaboradores é divulgado no portal on-line e depois, reproduzido aqui, neste semanário, ficando para sempre documentado. Missão dada é missão cumprida.
 
O Pantaneiro completa 56 anos em 2021 e segue “contando a sua história”. A nossa começou no mês 5 de 1965, um ano após o Golpe Militar no Brasil e nunca abandonamos a empreitada, apesar de todas as batalhas travadas para continuar entregando jornalismo de qualidade ao povo aquidauanense, ao povo do Pantanal.

Da Redação