Reconhecimento

Dia do Obstetra: José Luís Quelho foi o médico responsável pelo nascimento dos próprios filhos

12/04/2021 16:13


A medicina têm inúmeras áreas de atuação, uma delas é o acompanhamento da mulher em gestação até o momento do parto, função esta do médico obstetra. Nesta segunda-feira (12), Dia do Obstetra, destacamos a importância desses profissionais na valorização da vida.

Especialista em ginecologia e obstetrícia desde 1987, José Luis Quelho atende na Ultracenter, no Centro de Aquidauana. Ele diz que atuar nessa área não é uma missão fácil, pois é contribuir para trazer crianças à vida e somar esforços para garantir a saúde da gestante, durante a gravidez e após o parto.

Pai da nutricionista Larissa e dos acadêmicos de medicina Emanuela e José, o obstetra pode acompanhar os filhos bem de perto, inclusive sendo o médico responsável pelo nascimento deles. Porém, existem os sacrifícios da profissão, que exigem estar ao lado de pacientes em qualquer horário do dia [e noite] para chegada do bebê.

“É importante lembrar a família de certificar-se de quem é obstetra escolhido, porque ele será o aliado da gestante do começo ao fim. Principalmente nesse momento de tanta sensibilidade e sensações para a gestante, é primordial confiança no médico, a disposição e competência do mesmo para assistenciar sempre que for necessário”, destaca José Quelho para O Pantaneiro.

Trazer alguém ao mundo, em meio à pandemia, torna esse desafio ainda maior e também mais recompensador. “Nesse período em que estamos vivendo, de tantas perdas e dores, nada é mais gratificante do que um parto bem sucedido e a felicidade estampada nos rosto dos pais quando recebem o seu filho pela primeira vez. Essa primeira troca de olhares, acontece na nossa frente. É a VIDA acontecendo na sua forma mais singela e bonita”. 

José conclui dizendo que escolheu essa especialização por amor às vidas, mesmo sabendo que muitas vezes sacrificaria os dias de folga, feriado e finais de semana em prol das pacientes. Só que nada supera a alegria, satisfação e emoção de ajudar a trazer uma vida ao mundo.

“Eu me sentia honrado pelos pais confiarem em mim nesse momento tão importante a missão de participar desse divisor de águas que é o nascimento”, finaliza.
 


Kamila Alcântara