Pandemia

Prefeitura de Miranda atualiza estratégia de vacinação contra a Covid-19

18/05/2021 07:20


A Prefeitura informa atualização de estratégia de vacinação contra a Covid-19 a partir desta segunda, 17 de maio: 
 
PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO A PARTIR DE 35 ANOS – Serão vacinados nesta terça-feira, 18 de maio, no período das 8h às 13h, na Escola Estadual Dona Rosa Pedrossian (EERP); 
 
PESSOAS A PARTIR DE 58 ANOS E COM COMORBIDADES – Seguimos vacinando pessoas com idade a partir de 58 anos com a primeira dose (D1) do imunizante AstraZeneca/Oxford. Podem se vacinar ainda portadores das seguintes comorbidades (desde que tenham laudo médico): pessoas HIV positivo, transplantados, pacientes de hemodiálise, cardiopatas, pessoas com deficiência permanente. Para portadores de comorbidades a idade mínima para ser imunizado é 18 anos. As pessoas devem procurar as unidades de saúde mais próximas de suas casas munidos de RG, CPF, Carteira de Vacinação e Cartão do SUS; 
 
SEGUNDA DOSE DA VACINA ASTRAZENECA/OXFORD – Quem completou dois meses da primeira dose (D1) da vacina AztraZeneca/Oxford a partir desta segunda-feira, 17 de maio, já pode se vacinar com a segunda dose. Basta procurar o posto de saúde mais próximo de sua casa com a carteira de vacinação e documentos pessoais. 
 
SEGUNDA DOSE DA CORONAVAC - Miranda recebeu, para esta semana, apenas mais 270 doses da Coronavac que estão sendo direcionadas, todas, para a segunda dose de quem já tomou a primeira. Informamos que pela baixa quantidade recebida os postos de saúde fizeram a triagem daqueles pacientes que já passaram do 28º dia do prazo de intervalo entre uma dose e outra. Então, as pessoas que tomaram a primeira dose (D1) e das quais o intervalo de 28 dias já está vencendo, ou já venceu, terão prioridade para serem vacinadas com a D2 que temos disponíveis. Estes pacientes prioritários estão sendo comunicados por telefone do agendamento para tomarem a D2 nesta semana. Pedimos a compreensão de todos, pois a vacina Coronavac tem vindo em quantidade menor que a esperada. O Ministério da Saúde está com dificuldades de distribuição desta vacina para todo o Brasil, uma vez que o Instituto Butantan, que fabrica a Coronavac, tem atrasos na fabricação do imunizante por dificuldades de adquirir insumos.

Assessoria de Comunicação