Disque 100

Isolamento social aumentou número de denúncias de violência contra pessoas idosas

16/06/2021 14:11


No Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa — celebrado nesta terça-feira (15), dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), mostram que as denúncias de violência contra pessoas idosas recebidas pelo Disque 100, tiveram um aumento de 53% em 2020, se comparadas com o ano de 2019.
 
No fim do ano passado, com o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19, o número observado em 2019 (48,5 mil registros) passou para 77,18 mil denúncias. No primeiro semestre de 2021, o Disque 100 já registrou mais de 33,6 mil casos de violações de direitos humanos contra o idoso no Brasil.
 
E com o objetivo de diminuir esses dados alarmantes, a Lei 5.215/2018, instituiu a campanha “Junho Prata", que une esforços para conscientizar a população quanto a importância do respeito à integridade física e psíquica da pessoa idosa e estimular a denúncia de ações violentas contra os idosos.
 
Segundo a presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDPI), Lilian Veronese, a pandemia e o isolamento social contribuíram para que as violações de direitos contra pessoas idosas aumentassem e explica o papel importante da sociedade no enfrentamento dessa violência.
 
“É papel social respeitar as pessoas idosas em todos os lugares, dando assento no ônibus para sentarem, não estacionar nas vagas destinadas às pessoas idosas, dar o lugar na fila, por exemplo. Se tiver uma idosa na família, conversar, ajudá-la a ter autonomia, informar aos idosos de nosso convívio que é crime fazer piada, discriminar, hostilizar as pessoas idosas. Também é crime se apropriar de bens e dinheiro que é de propriedade da pessoa idosa. Precisamos levar as informações a todos os idosos, as pessoas têm que ter mais empatia, respeito e se conscientizar”, explica.
 
A campanha é realizada pela Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e conta com o apoio do Governo do Estado. “Somos parceiros nesta campanha com o intuito de garantir direitos e promover a autonomia, valorização e participação dos idosos na sociedade. Além de levantarmos a bandeira do enfrentamento a violência, precisamos dar visibilidade para o respeito que essas pessoas merecem, pois envelhecer com dignidade é um direito de todos”, reforça o secretário de Cidadania e Cultura, João César Mattogrosso.
 
As atividades que compõem o Junho Prata estão todas sendo realizadas de forma remota, devido à pandemia da Covid-19, e vão até o dia 3 de julho.

Governo do Estado