Live do Prosseguir

Eduardo Riedel atualiza os mapas de risco e comenta sobre desobrigar uso de máscaras

Aquidauana e Miranda aparecem na cor amarela, que indica grau tolerável contra a covid-19

15/10/2021 12:39


Em meio a números animadores relacionados à covid-19 em Mato Grosso do Sul, o presidente do comitê gestor do Programa de Saúde e Segurança na Economia (Prosseguir) e secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel, atualizou nesta manhã as bandeiras com os graus de risco, válida do dia 14 até o dia 27 de outubro. Na coletiva realizada hoje pela manhã, Riedel também comentou sobre a liberação do uso de máscaras.

Antes de apresentar as classificações dos 79 municípios do Estado, o secretário afirmou que 61% dos sul-mato-grossenses já se encontram totalmente imunizados, seja com a segunda dose ou com a dose única, e que tanto o número de mortes (-62) quanto o de internações (-57) tiveram uma queda considerável em comparação com o mês de setembro.

Já na análise dos mapas, Aquidauana e Miranda são os municípios da região que se encontram em melhor situação contra o coronavírus, sendo colocas na faixa de risco amarela, considerada “tolerável”. Anastácio aparece na cor laranja, com grau médio, e Dois Irmãos do Buriti ainda é um dos poucos municípios do Estado a apresentar risco alto para a doença.

Várias regiões de MS avançaram para o grau tolerável nesta atualização

Riedel comentou sobre a retomada das atividades, principalmente no setor de comércio, e ressaltou novamente a importância dos imunizantes na conquista de dados tão positivos.

“Sem dúvida que o grau de atividade das pessoas é maior, a aglomeração é maior, mas o resultado em relação às consequências é bem menor, e isso se deve certamente à vacinação”, afirmou o secretário.

Ainda sobre a retomada, o presidente do Prosseguir falou sobre o retorno das aulas 100% presenciais na rede estadual; o auxílio financeiro do programa Incentiva+ Turismo – que já conta com 475 microempreendedores individuais (MEIs) e 137 guias turísticos cadastrados –; as 1738 inscrições para o programa MS Cultura Cidadã, das quais 987 já foram aprovadas; e a isenção de IPVA para bares e restaurantes até o ano que vem.

Neste cenário que se aproxima da antiga normalidade, Riedel afirmou que nos próximos encontros do Prosseguir o tema da obrigatoriedade das máscaras deve começar a ser discutido, mas enfatizou que isso vai depender da manutenção e melhora dos números atuais.

“É cedo ainda pra gente discutir retirada de máscara em ambientes fechados ou de aglomeração, mas a discussão é natural que venha para ambientes abertos, dado que a evolução da vacinação continua num ritmo bom”.

O uso dos equipamentos de proteção facial é obrigatório desde o dia 22 de junho de 2020, quando o governo divulgou decreto estabelecendo a exigência para que a população pudesse frequentar órgãos públicos, utilizar ônibus e adentrar estabelecimentos privados de acesso coletivo, que incluem restaurantes, shoppings e supermercados. Especialistas afirmar que ainda é cedo para tal medida, visto que novas variantes do vírus ainda podem surgir.

Uso de máscaras e higienização de mãos e objetos com álcool em gel não é sacrifício algum e deve ser continuadoUso de máscaras não é sacrifício algum e deve ser mantido, assim como a higienização das mãos e objetos com álcool em gel

Por fim, o secretário foi perguntado novamente sobre o passaporte da vacina e respondeu dizendo que a iniciativa segue descartada. "Entendemos, no momento, em função dos resultados, que não precisamos do passaporte [da vacina]. Não que a gente não tenha que tomar essa providência, de repente, lá para frente. Mas a gente tem mostrado aqui, uma redução de casos, zeramos óbitos, uma redução de internação. Então, a gente está muito seguro dessa decisão", finalizou.


João Marcelo Correia Sanches