Geral

Militar brasileiro morre eletrocutado no Haiti

03/08/2007 10:18


O Ministério da Defesa confirmou nesta sexta-feira a morte no Haiti do soldado Rodrigo da Rocha Klein, 21, que tropeçou em um fio de alta tensão e morreu eletrocutado por volta das 19h45 (21h45 de Brasília) desta quinta-feira, segundo informações oficiais.


De acordo com um comunicado do ministério, Klein era soldado do 4º regimento de cavalaria blindado no Haiti, onde serve desde 2004. Apesar de ter sido socorrido por um colega, ele morreu no local. O Brasil mantém mais de mil militares no Haiti como parte da missão de paz da ONU no país (Minustah)


O general brasileiro Carlos Alberto Cruz comanda a Minustah em Porto Príncipe


A Minustah --que atualmente conta com aproximadamente 8.800 efetivos, 6.800 soldados e 2.000 policiais-- foi destacada pouco depois da derrubada do ex-presidente Jean-Bertrand Aristide em uma rebelião armada em fevereiro de 2004. A força é formada por tropas dos seguintes países: Argentina, Benin, Bolívia, Brasil, Canadá, Chade, Chile, Croácia, França, Jordânia, Nepal, Paraguai, Peru, Portugal, Turquia e Uruguai.


Com 1.200 homens, o Brasil é o país com o maior número de militares e vem liderando a missão desde o seu primeiro mandato, em 2004.


Nota sobre a morte do militar na íntegra.


"O Ministério da Defesa e o Centro de Comunicação Social do Exército lamentam informar que, no dia 02 de agosto de 2007, por volta das 19:45 (hora local - Haiti), no Ponto Forte Dourados, bairro de Boston - Porto Príncipe, o Soldado Rodrigo da Rocha Klein, de 21 anos, natural de São Luiz Gonzaga/RS, originário do 4º Regimento de Cavalaria Blindado, onde servia desde 2004 sofreu um acidente no momento que se deslocava na laje do ponto forte tropeçando em um fio de alta tensão da rede pública, onde recebeu uma descarga elétrica, vindo a falecer no local.


No momento do acidente o 3º Sargento Luiz Guilherme Fagundes Caetano, de 23 anos, da mesma unidade militar, tentou socorrer o militar e, em conseqüência, sofreu escoriações diversas e queimaduras nas mãos; o militar encontra-se baixado no Hospital Argentino da missão da ONU (Minustah) e está fora de perigo.


O Comando do Batalhão Haiti e a Minustah realizarão as investigações para a devida apuração do fato.


As famílias dos militares já foram informadas e assistidas. Aeronave da FAB deslocar-se-á para o HAITI para o traslado do militar falecido. Outras informações serão divulgadas oportunamente."


folha