Ajude a evitar a gravidez precoce

29/10/2007 09:43


Uma recente pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) trouxe um dado alarmante. Apesar de o número de filhos por mulher no país ter diminuído nos últimos dez anos, a gravidez entre meninas de 15 a 17 anos cresceu. "Há alguns anos, a gravidez na juventude era resultado da falta de informação. Hoje, os jovens sabem muito sobre o assunto, mas não se protegem", explica a terapeuta familiar Elizabeth Polity, de São Paulo. Apesar de ser uma dádiva, um bebê na hora errada pode trazer muitos conflitos para a vida de um adolescente. Para evitar isso, confira como ajudar seu filho ou filha a não ter uma gravidez indesejada.


Nada de PROIBIR
A partir de um determinado momento da adolescência, que varia conforme o amadurecimento de cada um, é um erro tentar proibir ou dificultar demais a vida sexual do filho ou da filha. Não adianta! Quando o desejo falar mais alto, os jovens não vão pedir autorização para fazer sexo. Se forem proibidos, eles vão transar escondido, em condições que não são favoráveis ao uso da camisinha. Ou podem acabar usando contraceptivos sem orientação adequada. O ideal é dar liberdade com responsabilidade. e, para isso, é importante que o jovem esteja bem informado.


Fale de SEXO com seus filhos!
Informação e métodos para prevenir a gravidez não faltam. De acordo com o ginecologista Marco Aurélio Galleta, coordenador da área de gravidez na adolescência do Hospital das Clínicas de São Paulo, os jovens sabem quais são os meios para evitar a gravidez, mas são imaturos para usá-los. Por isso, é importante conversar com eles. "Os pais precisam criar uma relação de confiança com os filhos, para que eles não tenham vergonha de tirar suas dúvidas", explica Elizabeth Polity.


Participe da VIDA SEXUAL do adolescente
Mesmo que os pais não se sintam à vontade para conversar com os filhos sobre sexo, eles devem orientam a vida sexual dos jovens. "Se eles não querem conversar, devem ao menos garantir que os filhos tenham como se prevenir. Entregar camisinhas aos meninos ou levar as meninas ao ginecologista é melhor do que não fazer nada", explica Elizabeth Polity. Ao fazer isso, os pais mostram que se preocupam com o jovem e o estimulam a se proteger. Outra maneira de ajudar o filho é levá-lo a um especialista. Assim, ele poderá esclarecer todas as dúvidas que surgirem.


Ensine o jovem a SE VALORIZAR
A auto-estima é importante para o jovem ser mais responsável com o próprio corpo. E, com todas as dúvidas que vêm com a adolescência, ela pode ser profundamente abalada. "Educar os filhos como se fossem uma eterna criança, impondo a eles todas as suas vontades, não vai ajudá-los a ter uma auto-estima elevada. os pais devem dar ao filho o direito de ter seus próprios desejos e tentar realizá-los", explica Elizabeth Polity. Assim, o jovem terá firmeza para, por exemplo, exigir que o parceiro use o preservativo durante a relação sexual, sem se preocupar com o fato de que ele possa ficar ofendido.


GRÁVIDA de novo?!
Após o nascimento do primeiro filho, cerca de 40% das meninas voltam a engravidar. É por isso que os especialistas insistem que os pais não devem parar com a orientação sexual do jovem imaginando que ele já adquiriu maturidade suficiente com a primeira gestação.


revista ana maria