17 de janeiro de 2021
Anuncie Aqui
-->

2008 começa em alta para filme nacional

12 JAN 2008 - 12h03min
folha on line

"Meu Nome Não É Johnny", o primeiro longa brasileiro a estrear em 2008 (em 4/1), teve animadora performance nas bilheterias. Foi visto por 151 mil pessoas no fim de semana, com média de 1.482 espectadores por cópia --resultado característico de grandes sucessos.


Mas não é nos números que o diretor Mauro Lima, 40, tem se fixado, para dimensionar o êxito de seu filme. "Não me dou bem com a coisa no papel, na planilha. Gosto de entender [o sucesso do filme], quando me dizem que foram vê-lo no cinema e voltaram para trás, porque a sessão estava lotada."


Lima é cauteloso sobre as razões da popularidade de "Meu Nome Não É Johnny". "Se eu soubesse o segredo, estaria com meus próximos oito filmes garantidos." Mas ele estima que "talvez seja a atualidade desse assunto nos centros urbanos" o principal chamariz do longa.


"Meu Nome Não É Johnny", protagonizado por Selton Mello, é baseado na biografia do produtor musical carioca João Guilherme Estrella, 46, que, pertencendo à classe média alta carioca, passou de usuário a traficante de drogas na juventude e foi condenado à internação em hospital psiquiátrico.


"Pouco previsível"


Apesar da performance positiva do filme brasileiro que inaugurou as bilheterias em 2008, a expectativa de boa parte do mercado é que o desempenho do produto nacional neste ano repita o de 2007.


"Estimamos aproximadamente o mesmo número de público", afirma o executivo da Cinemark, Valmir Fernandes. O secretário do Audiovisual, Silvio Da-Rin é mais reticente. "O cinema tem flutuações muito grandes. O êxito dos filmes é muito pouco previsível", diz.


O diretor José Padilha, autor do filme brasileiro líder de bilheteria em 2007 ("Tropa de Elite", 2,4 milhões) acha que a queda total de bilheterias no ano passado (de 2,9%, ou 2,5 milhões de espectadores) "não indica uma tendência".


Padilha diz que "variações percentuais pequenas como esta podem decorrer de fenômenos que não têm a ver com a economia do cinema".


O cineasta cita como possível causa dessa queda a pirataria que atingiu "Tropa de Elite" antes de sua estréia nos cinemas.


"Na opinião dos distribuidores e exibidores em geral, se a pirataria não tivesse ocorrido, o filme teria feito um público bem maior em cinema. Talvez, mais do que 2,5 milhões [além do que fez]. Assim, é possível que esta queda resulte, entre outras coisas, do ato de duas pessoas que roubaram o DVD de um filme [e o destinaram à pirataria]", afirma Padilha.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Geral

Familía faz homenagem à jovens recém casados

2
Geral

Homem é flagrado nu após ser obrigado a deixar roupas como garantia de pagamento em bar

3
Policial

Após tomar facada no coração, homem é largado em frente a uma padaria

4
Aquidauana

Aquidauana registra morte de paciente de 28 anos causada por coronavírus

Vídeos

Temporal durante a madrugada causa alagamentos e deixa moradores ilhados em Corumbá

Tata Werneck responde fã que comparou Aquidauana a ''Aquidauanus'' no instagram

Marca P Remates realiza 1° leilão de corte de 2021

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min23 max31

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Chove rápido durante o dia e à noite.
min23 max31

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Chove rápido durante o dia e à noite.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
3,20m
Miranda
2,81m
Paraguai
0,64cm

Colunas e Blogs

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

Solidão, Solidariedade, Solicitude

Valdemir Gomes

Sei...

Giovani José da Silva

HISTÓRIAS DE ADMIRAR: NÃO HÁ LUGAR PARA TODOS NO PÓ...

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Médicos

Rute C. Noguchi - Dermatologista

Rua Marechal Mallet, 567 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-3114
Pesqueiros

Pesqueiro Segunda Esperança

, - Anastácio/MS (67) 3326-2163
Pesqueiros

Pousada Recanto das Emas

Estrada da Barra Mansa, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241-6180/9986-
Ver Mais
Fale com a redação