23 de setembro de 2020
Anuncie Aqui
-->

Brasil é 5º país que mais reduziu CFCs, diz ONU

18 SET 2007 - 09h40min
uol

O Brasil é o quinto país que mais reduziu o consumo de CFCs (clorofluorcarbonos), substâncias que destroem a camada de ozônio, segundo um ranking compilado pela Divisão de Estatísticas das Nações Unidas.


Entre 1995 e 2005, o país cortou o uso dos CFCs, gases também conhecidos como freon, em 9.928 toneladas de Potencial Destruidor de Ozônio, unidade usada para medir os possíveis danos causados à camada que age como um escudo que protege o planeta contra as radiações solares.


O Brasil ficou atrás da China, que cortou 62.167 toneladas, dos Estados Unidos (34.033), do Japão (23.063) e da Rússia (20.641), numa lista de 172 países compilada pela ONU.


Os números mostram os progressos alcançados pelo Protocolo de Montreal, que comemorou 20 anos no último domingo.


O acordo foi assinado em 1987 por 191 países, entre eles o Brasil, que se comprometeram em reduzir o uso de CFC em extintores de incêndios, sprays e aerossóis, refrigeradores de geladeiras e aparelhos de ar-condicionado.


Segundo as estatísticas da ONU, em 1995, o Brasil era o quinto país que mais usava esse tipo de gás (10.895 toneladas). Em 2005, era o 12º, com 967 toneladas, uma queda expressiva de 91,1%.


Os resultados, no entanto, foram maiores em outros países: 35 conseguiram zerar o uso dos CFCs, como o Japão, e 14 reduziram em mais de 92% (incluindo os Estados Unidos e a Rússia).


De acordo com números divulgados pelo Ministério do Meio Ambiente, a tendência de queda se manteve no Brasil desde 2005: no ano passado, o país usou 479 toneladas de gases destruidores da camada de ozônio. E desde o início de 2007, o país não importa nem produz mais CFCs.


O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) é uma das quatro agências implementadoras de um fundo multilateral que administra um programa de cerca de US$ 500 milhões em mais de 100 países para reduzir a emissão de gases nocivos à camada de ozônio.


No Brasil, o PNUD já implantou, desde 1991, 157 projetos para auxiliar o governo brasileiro a cumprir as metas do Protocolo de Montreal.


"Entre eles, estão a eliminação de CFCs na produção de espumas e nos solventes industriais, além da doação de 350 máquinas que reciclam o gás em centrais instaladas em São Paulo e no Rio de Janeiro, evitando que seja lançado na atmosfera", afirmou Carlos Castro, Coordenador da Unidade de Meio-Ambiente e Desenvolvimento do PNUD.


Ainda de acordo com o PNUD, os 191 países signatários do Protocolo de Montreal eliminaram, conjuntamente, mais de 95% das substâncias que destroem a camada de ozônio e a expectativa é que, até 2075, ela retome seus níveis anteriores à década de 80.

 

Veja também

Mais Lidas

1
Policial

Acidente entre caminhão e moto deixa duas vítimas em estado grave, em Aquidauana

2
Aquidauana

Aquidauanense de 99 anos é a nova vítima fatal da Covid-19

3
Política

Candidato a prefeito, deputado estadual e vice testam positivo para Covid-19

4
Política

Confira a lista de candidatos a vereador pelo Podemos em Aquidauana

Vídeos

Incêndio de grandes proporções consumiu atacadista, em Campo Grande

Em mais um acidente na MS-450, bombeiros resgatam vítima das ferragens

Onça-parda é flagrada 'passeando' por bairro e assusta moradores

Ver mais Videos

Previsão do Tempo

min20 max36

Aquidauana

Sol com algumas nuvens. Não chove.
min20 max36

Anastácio

Sol com algumas nuvens. Não chove.

Níveis dos Rios Hoje

Aquidauana
1,99m
Miranda
1,83m
Paraguai
1,01m

Colunas e Blogs

Valdemir Gomes

Talvez...

Maria de Lourdes Medeiros Bruno

"UMA APRENDIZAGEM ou O LIVRO DOS PRAZERES"

Flavia Rohdt

Aldravia 25 #PantanalemChamas

Ver Mais Colunas

Guia Cidade

Auto Escolas

Auto Escola União

Rua Marechal Mallet, 622 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS 67 - 3241-2506 / 840
Restaurantes

Churrascaria Princesa do Sul

Rua Manoel Antonio Paes de Barros, 943 Centro - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 3241 3946
Pesqueiros

Pesqueiro do Dinho

Distrito de Piraputanga, - 79200-000 Aquidauana/MS (67) 99121345
Ver Mais
Fale com a redação