X

Mudanças no padrão de sono pode ser indício da puberdade

Seu filho de 11 anos está ficando acordado até mais tarde, e depois sai pela manhã para a escola e fica cochilando pelos cantos? Pais e professores têm que estar atentos para o fato de que pode estar havendo um desequilíbrio no padrão de sono. Um estudo da Universidade de Tel Aviv, Israel, sugere que as mudanças nesses padrões são os primeiros sinais associados com a puberdade. Aviv Sadeh, autor do estudo, diz que criar maneiras para que esses pré-adolescentes durmam tranquilamente é uma ótima estratégia para garantir um crescimento saudável e preparar o corpo para as mudanças que estão por vir.


"É muito importante para os pais estarem atentos para a importância do sono para o desenvolvimento de seus filhos e se prepararem para manter essa atenção nos anos relativos à adolescência", diz Sadeh.


"As escolas também devem estar preparadas para promover campanhas de informação sobre a importância do sono para o bem estar físico, psicológico e para as atividades escolares", completa o pesquisador.


Cada minuto é importante


Resultados do estudo mostraram que durante mais que dois anos, os padrões de sono de uma série de indivíduos pré-adolescentes observados tinham atrasado, em média, durante 50 minutos. Além disso o total de horas dormidas também havia diminuido em 37 minutos.


No caso das meninas, a eficiência do sono se mostrou maior do que as meninas. Elas ficavam menos tempo acordadas que os meninos. Mas para ambos a mudança nas horas dormidas indicavam mudanças relativas à puberdade. O estudo aponta para mudanças neurocomportamentais associadas às mudanças no corpo dessas crianças.


"Os fatores biológicos são uma influência importante, mas fatores psicossociais, como os assuntos relacionados aos estudos, atividades sociais e distrações tecnológicas também podem levar ao desenvolvimento de hábitos ruins para o sono", explica Sadeh.


O autor também nota que, comparando os dias normais e os finais de semana, a sexta-feira se mostrou o pior dia para o sono desses pré-adolescentes. Nesse dia o sono tem os maiores atrasos de início, o tempo de sono é maior - mas com o atraso o número de ciclos profundos é menor - e, portanto, a qualidade do sono é a pior possível.


Isso pode ter a ver com a ideia errônea, mas popularmente difundida, do "sono compensatório", onde as pessoas acham que é possível recobrar o número de horas mal dormidas durante a semana aumentando a quantidade de horas dormidas no final de semana.


"Entender melhor essas relações entre sono e maturação puberal [processos de desenvolvimento durante a puberdade] podem trazer novos dados sobre as vulnerabilidades comportamentais e emocionais, além dos problemas de saúde relacionados com o início da adolescência", diz Sadeh. "Essas novas informações podem melhorar a prevenção e as intervenções necessárias na saúde desses indivíduos." / com informações a University of Tel Aviv

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Brasil tem mais de um milhão de casos de dengue este ano

Seis estados e o Distrito Federal decretaram situação de emergência

Pesca

Fim da Piracema: Pesca está liberada em MS a partir desta quinta-feira

Imasul alerta para regras ambientais

Voltar ao topo

Logo O Pantaneiro Rodapé

Rua XV de Agosto, 339 - Bairro Alto - Aquidauana/MS

©2024 O Pantaneiro. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

2
Entre em nosso grupo